Um artista que cuida de artistas - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CADERNO A

Um artista que cuida de artistas

Caderno A, Circuito

Apesar do nome artístico, Caio Luigi, batizado Caio Luiz de Souza, desistiu por hora de alcançar o estrelato. O mogiano, que desde muito novo está ligado à música, é o responsável hoje, aos 23 anos, pelo Monolito Studios, ao lado do irmão mais velho André Marques. Foi ele, inclusive, que deu a oportunidade para que Caio pudesse ter seu primeiro contato com o universo dos sons. Na época, em meados de 2005, André administrava o Overdrive Estúdio e Caio, ainda com 10 anos de idade, estava sempre junto. Começou também a tocar instrumentos e integrar conjuntos, mas cerca de um mês atrás ele decidiu que levará as bandas mais como um hobby e se dedicará ao estúdio, não só como administrador, mas também como design gráfico, fotógrafo, produtor e empresário. A ideia é que os artistas encontrem em um único local todos os serviços que necessitam.
Em 2013 o mogiano foi morar em Londres, a pedidos do irmão, que achava a capital da Inglaterra um tanto quanto monótona e fria. Caio então resolveu que iria, antes disso ficou cerca de duas semanas na Itália para que conseguisse tirar a cidadania italiana. Mesmo juntos, os irmãos não estavam satisfeitos em morar no continente europeu e decidiram voltar à Mogi. Por lá conseguiram, entretanto, comprar uma série de equipamentos, visando voltar às atividades do Overdrive. Em agosto de 2014 o estúdio foi reaberto e com isso, muitos dos músicos voltaram a ensaiar e gravar no local.
Caio deu aula de inglês em duas escolas da Cidade, mas deixou de lado a profissão e decidiu que iria se dedicar mais a parte estética da música, e foi aprender mais sobre fotografia, vídeos e design. Porém, nesta época ainda se dedicava também aos palcos. Foi há apenas um mês que o mogiano sentou para conversar com o irmão, André, com quem mantinha duas de suas três bandas, para dizer que daria um tempo da vida de músico. Isso porque a profissão requer muito empenho, e ele pretende seguir focado no Monolito. Em comum acordo eles chegaram à conclusão de que Caio poderia participar das bandas de uma forma mais despretensiosa. Hoje, ao lado do irmão e de outros dois integrantes, ele ainda é o baterista da Desisto.
Para continuar fazendo o que realmente gosta, Caio ainda tem um novo projeto para este ano. Desta vez uma carreira solo, onde possa apresentar mais do repertório que gosta, que inclui o jazz antigo, por exemplo. Além disso, ele deseja desta vez ser vocalista, já que a bateria é um instrumento mais pesado. Já para o futuro do estúdio, Caio pensa também em cuidar da produção de conteúdo das bandas que passam por lá. (Larissa Rodrigues – Especial para O Diário)

  • Com Christian Souza Lima, da Prellude, na Estação Ferroviáriade Cachoeira Paulista, em gravação do clipe da banda
    af080112 (2)
  • E com a namorada, Maria Luiza Gonçalves, no Teatro Vasques
    af080112 (1)
  • Caio Luigi em uma apresentação com Luiz Henrique Nespoli Raimundo, no Centro Cultural
    af080112 (3)

Viver em Mogi é…
Sair de casa de regata e voltar de esquimó. E vice-versa.
O melhor da Cidade é…
Ser longe de São Paulo. E ser perto de São Paulo também.
E o pior?
Transporte Publico. Na lata.
Sinto saudade…
Da Praça do Carmo e Música na rua.
Encontro paz de espírito…
Correndo de madrugada. Quando eu ainda fazia isso, pelo menos.
Pra ver e ser visto…
Viva Chopperia. De longe.
Meu prato preferido é…
Nachos, com chilli beans vegano e guacamole.
Livro de cabeceira…
Eclesiastes.
Peça campeã de uso do meu guarda-roupa?
Casaco-até-o-chão preto de pele sintética.
Uma boa pedida é…
Vinho tinto seco italiano.
É proibido…
Coibir subjetividades alheias (desde que a mesma não prejudique outrem, lógico).
A melhor festa é…
À meia luz, com vinho infinito e jazz.
Convite irrecusável…
Entardecer no Caribe com Wicked Game de fundo.
O que tem 1001 utilidades?
Música.
Meu sonho de consumo é…
Uma mansão velha, cheia de unha-de-gato.
Qual foi o melhor espetáculo da minha vida?
Nascer.
Cartão-postal da Cidade…
Centro Cultural/Igreja da Matriz.
O que falta na Cidade?
Políticos interessados em pensar no que falta na cidade.
Qual é a química da vida?
Café Expresso. Sem açúcar, por favor.
Deus me livre de…
Iluminação dura e móveis em MDF.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone