Tracker evolui com design moderno - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           AUTOMOTOR

Tracker evolui com design moderno

Automotor

Foi se o tempo em que o foco na robustez dominava o segmento dos SUVs compactos. Com o passar dos anos e o sucesso estrondoso que a categoria conquistou em diversos mercados, não só no brasileiro, eles passaram a ser os “queridinhos” de quase todas as marcas e a ideia de elegância e modernidade começou a se proliferar entre os novos lançamentos. Alinhado ao fato de que o visual do Chevrolet Tracker já estava desatualizado diante da nova assinatura de design da marca, uma mudança era mesmo necessária. Mas a marca foi além e mexeu também no trem de força. Conseguiu atualizar o carro e, de quebra, adotou um novo motor turbo flex. E conquistou boa relação custo/benefício, inclusive em sua configuração de topo, a LTZ, que parte de R$ 91.990.

O Tracker LTZ adota a mesma motorização de sua variante de entrada, a LT. Trata-se do novo motor 1.4 turbo flex, com injeção direta de combustível de 153 cv de potência e 24,4 kgfm de torque, sendo que 90% dessa força ficam disponíveis já aos 1.500 giros, de acordo com a fabricante. O propulsor, o mesmo que equipa os hatch e sedã médios Cruze, trabalha em conjunto com uma transmissão automática de seis velocidades, que também passou por mudanças e ganhou nova relação de marchas. O zero a 100 km/h chega em 9,4 segundos, exatamente dois segundos a menos que antes, e a máxima é de 198 km/h.

Para valorizar a eficiência energética, entrou o sistema Stop/Start, que desliga o motor temporariamente em paradas. De acordo com a Chevrolet, isso pode resultar em até 15% de economia de consumo. O modelo vendido no Brasil ainda recebeu novo acerto de suspensão, para adicionar firmeza em altas velocidades e reduzir a rolagem de carroceria. No entanto, recursos como controles eletrônicos de estabilidade e de tração ficaram de fora.

Externamente, capô, faróis, grade, para-choque e os para-lamas posteriores foram completamente redesenhados. Na parte de trás, as alterações ficam por conta das novas lanternas, com opção de iluminação em LED, e do para-choque reestilizado. Já por dentro, a marca garante que a cabine está 11% mais silenciosa. O painel de informações mudou e está mais sóbrio, com velocímetro analógico; no antigo era digital, semelhante ao do Onix.

O sistema multimídia MyLink traz compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay e há, de série, a tecnologia OnStar, com a possibilidade de comandar e ter acesso a serviços de “concierge” e emergência, entre outros. Entre os itens inéditos de segurança, dois deles são comuns ao da parente maior Trailblazer: alerta de ponto cego e câmara de ré com alerta de movimentação traseira. (Márcio Maio/AutoPress)

  • O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
    O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
  • O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
    O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
  • O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
    O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
  • O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)
    O novo Chevrolet Tracker apresenta uma evolução no design em relação à geração anterior. (Foto: Isabel Almeida/ Autopress)

Ponto a ponto – Chevrolet Tracker LTZ
Desempenho – O novo Tracker ganhou o mesmo motor que equipa o Cruze, um 1.4 turbo de 153 cv com etanol que faz muita diferença na hora de mover o SUV compacto. Arrancadas, ultrapassagens e retomadas são feitas com facilidade e a transmissão automática de seis velocidades é eficiente na hora de fazer o conta-giros subir ou descer com agilidade de acordo com a necessidade do motorista. Nota 8

Estabilidade – Em velocidades médias, o Tracker se mostra estável. Mas, como é comum em SUVs compactos, a carroceria rola um pouco nas curvas. E surpreende o fato de, mesmo com motor mais “enérgico”, não receber controle eletrônico de estabilidade. Nota 7

Interatividade – O interior é simples, com poucos comandos e todos bem posicionados. Um diferencial nesse sentido é o sistema OnStar. A central multimídia, no entanto, não chega a ter navegador GPS. Há controle de velocidade de cruzeiro, o que facilita as viagens longas de estrada. Mas os recursos são poucos para a faixa de preço em que a versão de topo LTZ atua. As trocas manuais na alavanca – e não em aletas atrás do volante, por exemplo – também depõem contra nesse sentido. Nota 7

Consumo – O Traker ganhou nota “A” no selo de eficiência energética do InMetro em sua categoria, com média de 7,3/8,2 km/l com etanol na cidade/estrada e 10,6/11,7 km/l com gasolina, nas mesmas condições. No geral, a nota foi “C”, com consumo energético de 1,97 MJ/km. Nota 8



Conforto – O espaço interno é bom e quatro ocupantes viajam com bastante conforto. A suspensão consegue filtrar boa parte das imperfeições das ruas e estradas brasileiras, promovendo poucos sacolejos na cabine. O isolamento acústico é correto, mas o barulho do motor invade sem cerimônia a cabine quando o turbo é acionado. Nota 8

Tecnologia – A plataforma estreou no Sonic em 2011 e é a mesma dos sedãs Cobalt e Prisma, do hatch Onix e da minivan Spin. Não há controle de estabilidade nem de tração e a lista de itens de série, exceto pela central multimídia MyLink, não chega a chamar muita atenção. Mas o motor é moderno e ter um motor turbo flex com transmissão automática entre os SUVs compactos brasileiros é um trunfo do Tracker. Nota 7

Habitabilidade – De maneira geral, os carros da Chevrolet trazem bons nichos e porta-objetos para guardar tudo que precisa estar à mão do motorista durante uma viagem. Mas o porta-malas carrega apenas 306 litros, o que é pouco para a categoria em que atua. O teto solar cria uma boa sensação de amplitude no habitáculo. Nota 7

Acabamento – O Tracker LTZ traz certo desequilíbrio nesse quesito. O trem de força é do Cruze, hatch e sedã médios da categoria. Já o interior se assemelha ao do Onix e do Prisma, os compactos da marca e, obviamente, que atuam em um segmento inferior. O acabamento é superior ao que era visto antes da reestilização, mas talvez alguns compradores potenciais esperem mais pelos R$ 92.990 pedidos pela versão, com todos os opcionais. Nota 6

Design – A evolução nesse sentido é imensa. A nova assinatura visual da Chevrolet deu ao Tracker um desenho mais elegante e moderno. Além disso, ressaltou a ideia de esportividade, totalmente justificada pela adoção do novo propulsor turbinado. A imagem anacrônica de antes foi deixada de lado. Nota 9

Custo-benefício – Chevrolet Tracker LTZ parte de R$ 89.990 e chega a R$ 92.990 completo, ou seja, com airbags laterais e de cortina. Quem busca um motor vigoroso e eficiente aliado à transmissão automática não encontra oferta melhor no mercado. Um Ford Ecosport topo de linha, Titanium 2.0, custa R$ 1.700 a mais, mas traz controles de estabilidade e tração. Um Jeep Renegade Limited 1.8 flex, que é mais bem equipado que o Tracker LTZ, parte de R$ 91.990, mas seu propulsor é menos eficiente e vigoroso. Por R$ 93 mil a Honda entrega o HR-V EX, variante intermediária. É menos potente, menos eficiente e, apesar de ter assistente de estabilidade e tração, é menos equipado. Um Hyundai Creta Prestige é mais bem equipado, mas o motor 2.0 não é turbo e o preço fica em R$ 99.490. Um Nissan Kicks SL tem motor 1.6 de 114 cv e sai a R$ 91.900. O Tracker deixa a desejar no acabamento e na central multimídia simples, mas leva alguma vantagem no custo/benefício. Nota 8

Total – O Chevrolet Tracker LTZ somou 75 pontos em 100 possíveis.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone