Segurança na Saúde

A ampliação da rede de serviços municipais reconhecidos com o Selo de Qualidade e Acreditação do ONA pode favorecer a melhoria dos índices de qualidade de vida de Mogi das Cruzes. A saúde é um dos principais indicadores para se avalizar erros e acertos da administração pública na condução de uma Cidade, um Estado, uma Nação. Por isso, a busca pela qualidade na Saúde merece no respeito e reconhecimento.

Duas unidades municipais receberam a certificação, o Hospital Municipal Waldemar Costa Filho, em Braz Cubas, e a Unidade Clínica Ambulatorial (Unica) do Distrito de Jundiapeba. E duas outras, as Unidades de Pronto-Atendimento (Upas) do Rodeio e do Jardim Oropó, se preparam para cumprir as rígidas normas impostas a instituições públicas e privadas interessadas em obter esse atestado de qualidade e excelência – um verdadeiro trunfo para o bom gestor.

O processo de acreditação serve para avaliar os procedimentos administrativos realizados para o funcionamento de uma instituição, e envolve todos os setores que a compõe – da limpeza, segurança, conversação e manutenção predial, passando pelos processos administrativos e de atendimento ao público.

Mais do que um selo reconhecido nacionalmente, esse processo se equipara ao que os mais velhos chamariam de “o pulo do gato”. Durante o rito de avaliações e cobranças, gestores e colaboradores conseguem identificar os gargalos que comprometem os resultados finais. No nosso caso, o que realmente interessa a Mogi das Cruzes é a oferta de bom atendimento ao paciente.

Num serviço de Saúde, esse processo costuma descobrir e tratar situações impeditivas para a cura e o tratamento do doente, missão maior dos trabalham com vida do outro, não importando, quem seja esse outro. O caminho percorrido até a certificação motiva e une os trabalhadores avaliados.

Por isso, os resultados desse processo incluem o combate ao desperdício e a elevação dos índices de segurança e dos resultados do atendimento e de satisfação dos clientes.

Embora seja apenas um selo num papel ou num quadro de parede, esses esforços podem ter os resultados maximizados, se continuarem fazendo parte da rotina desses endereços, em geral bem avaliados pelos mogianos. Caberá agora aos gestores manter a motivação dos funcionários e os meios necessários para que o serviço seja bem feito, sempre. E ao público, cabe seguir firme na cobrança dos resultados.

A promoção da Saúde é dever do Estado, coisa que também está no papel. Mas a Cidade pode fazer diferença quando o paciente e a sociedade civil não aceitam menos do que o melhor do serviço público.

Natan Lira

Natan Lira

Deixe seu comentário

Últimas