Promessas do DER

Até o final deste ano, promete o DER, o posto de pesagem da Rodovia Henrique Eroles (SP-66), entre Mogi das Cruzes e Guararema, será reativado. Sem a balança fixa e com a base da Polícia Rodoviária operando parcialmente, motoristas infratores e principalmente caminhões com excesso de carga são os beneficiados pelo falta de fiscalização na ligação rodoviária entre as duas cidades desde setembro. Temos as nossas ressalvas.
Não é a primeira vez que a direção do Departamento de Estradas de Rodagem deixa o acesso sem o meio de controle e fiscalização conquistado no passa- do, após muita pressão e cobranças. Veículos com o peso acima do permitido deterioram o asfalto e podem ser o estopim de acidentes. Além disso, a presença do posto serve para inibir os motoristas infratores.

A operação da balança fixa é terceirizada. Como no passado, o DER não realizou a concorrência pública a tempo de impedir a descontinuidade do serviço e recursos impetrados pelas empresas participantes do certame acabaram por deixar a unidade fechada há três meses. A expectativa do órgão é de encerrar a disputa no próximo dia 16 – mas, quem garante que algum revés não irá postergar por mais tempo essa situação?

O DER demora a resolver uma pendência regional, mesmo tendo sido alertado por este jornal e deputados estaduais, e acaba por colocar em evidência uma preocupante desestrutura administrativa do principal órgão paulista, responsável pela fiscalização das nossas estradas. O excesso de carga prejudica toda uma cadeia: a população que passa a conviver com um caminho inseguro, e o próprio estado, que paga pela pista detonada.

O DER promete que a pesagem voltará a ser feita ainda neste ano, com a contratação de uma empresa, a admissão de funcionários e a retomada da operação da balança. Estamos a poucas semanas do período das festividades do final de ano, quando as estradas recebem uma demanda maior. Vale lembrar, ainda, que a volta da decoração de Natal em Guararema ampliará exponencialmente a movimentação de veículos pelo acesso desguarnecido de fiscalização.

O histórico de promessas descumpridas do DER não nos anima. A mais antiga das pendências do órgão com a Região do Alto Tietê é a duplicação da Rodovia da Mogi-Dutra, entre acessos para as rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra. Aliás, novamente questionado sobre o assunto por este jornal, o Governo do Estado voltou a dizer que espera concluir a licitação ainda nesse ano, após receber um último dos avais do Banco Mundial – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird/Miga).

Diego Selzzo

Deixe seu comentário

Últimas