Passageiros organizam ato contra aumento da passagem

A Prefeitura deve dar uma resposta sobre possível aumento. (Foto: Eisner Soares)
A Prefeitura deve dar uma resposta sobre possível aumento. (Foto: Eisner Soares)

DANILO SANS
Quase 800 pessoas já confirmaram presença no protesto “Aumento não!”, marcado para esta quarta-feira (11), às 17 horas, no Largo do Rosário, contra o reajuste da tarifa de ônibus em Mogi das Cruzes. A Prefeitura ainda analisa o pedido feito pelas concessionárias do transporte público da Cidade para elevar o preço da passagem dos atuais R$ 3,80 para R$ 4,70.

Até o final da tarde desta segunda-feira (9), 770 pessoas tinham confirmado presença e outras 1,4 mil demonstraram interesse em participar do ato. Segundo uma pessoa envolvida com a organização – que preferiu não ter o nome divulgado -, haverá passeata em direção ao Terminal Central. O trajeto ainda está sendo discutido.

O objetivo do grupo é pedir o congelamento das passagens no valor atual, R$ 3,80, e levantar uma discussão a respeito da qualidade do transporte público na Cidade, sobretudo em relação aos poucos horários de linhas que atendem bairros mais distantes, como Jardim Piatã e Volta Fria.

Na página criada no Facebook para organizar o protesto, o grupo defende que o transporte público deve ser encarado como um direito da população, não como uma “mercadoria” para render lucros. “Defendemos o reajuste zero e melhorias no sistema”, exclama.

O internauta Maxwell Ferreira listou uma série de reclamações relacionadas ao transporte na página. “Extinguiram as vagas de cobradores”, “ônibus sempre caindo aos pedaços nos bairros periféricos”. Uma das bandeiras da Prefeitura em relação ao serviço, a plataforma para deficientes também recebe críticas. A internauta Arinê Miranda diz que uma cadeirante precisou da ajuda de um passageiro e do motorista para entrar no ônibus porque o elevador hidráulico estava emperrado.

Em nota, a Prefeitura diz que ainda analisa o pedido de reajuste feito pelas concessionárias do transporte coletivo da Cidade, mas garante que qualquer alteração será informada à população com antecedência.

A Prefeitura destaca que as duas empresas (CS Brasil e Princesa do Norte) solicitaram aumento de R$ 3,80 para R$ 4,70, mas acrescenta que isso não significa que esse será o novo preço da passagem.

Por fim, a Prefeitura diz que somente em 2016 foram emitidas 696 notificações contra as empresas, sendo 508 contra a CS Brasil e 188 contra a Princesa do Norte, principalmente sobre atrasos e quebra de veículos, mas não informa se alguma multa foi aplicada no período.