Os “Tiradentes” de hoje e de amanhã - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           ARTIGOS

Os “Tiradentes” de hoje e de amanhã

Artigos

Claudio Miyake
Hoje é comemorado o Dia de Tiradentes, herói nacional do movimento de independência. Nascido em Minas Gerais, Joaquim José da Silva Xavier foi dentista, o que na época resumia-se basicamente à extração de dentes e alívio da dor dos pacientes.

Mas, afinal, quem são os “Tiradentes” da atualidade? Hoje o cirurgião dentista é fundamental para a Saúde. Ele atua nas mais diversas áreas, oferecendo tratamentos para alívio da dor e correção de funções, além de inúmeras soluções estéticas e cirúrgicas. Ele garante que os pacientes possam falar, mastigar e sorrir melhor. É de inegável importância para o bem estar e a qualidade de vida dos cidadãos.

Poucos sabem, mas o Brasil é o país que concentra a maior quantidade de cirurgiões dentistas do mundo. Estatísticas do fechamento da última década apontavam que o Brasil possuía cerca de 20% dos profissionais de todo o globo, com cerca de 200 mil inscritos no Conselho Federal de Odontologia. Dados do próprio CFO apontam que os números subiram de forma expressiva e hoje já somos 280 mil.

O Estado de São Paulo reúne grande parcela desse número, com cerca de 85 mil cirurgiões dentistas inscritos. A Odontologia paulista, assim como a brasileira, destaca-se pela excelência. Temos o que há de mais moderno e inovador em Saúde Bucal, sendo que somos referência internacional em diversas especialidades.

Entretanto, a significativa quantidade de novos profissionais da Odontologia que ingressa no mercado de trabalho anualmente chama a atenção e é alvo de preocupação do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP). Mais cirurgiões dentistas são necessários para que haja maior oferta de Saúde Bucal à população, mas é importante haver acompanhamento e fiscalização da formação profissional.

Para buscar a formação de cirurgiões-dentistas bem preparados, o CROSP deu um passo importantíssimo e pioneiro ao aplicar o Teste de Progresso. A prova foi realizada pela primeira vez em 2017, por meio de parcerias com universidades paulistas. Foram avaliados alunos, professores e instituições.

A ideia é de que o teste, hoje opcional, transforme-se em uma prova obrigatória e contribua para a melhora na qualidade do ensino oferecido.

Queremos uma Odontologia cada vez mais valorizada e moderna, com a formação de profissionais ainda mais competentes no amanhã. A maior beneficiada é a população.

 Claudio Miyake é cirurgião dentista, presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) e vereador



Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone