O status do capacete verde - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           ARTIGOS

O status do capacete verde

Artigos

Luiz Ciocchi
luiz@ciocchi.com.br
Na primeira etapa da minha carreira profissional, trabalhei na antiga siderúrgica Aços Anhanguera. Fui admitido em 1967, quando a Aços Anhanguera ainda estava em obras. A vinda da empresa do Grupo CAEMI, do Grupo de Augusto Trajano de Azevedo Antunes – ATA, foi um marco para Mogi das Cruzes e a Região do Alto Tietê.

Os empregos na siderúrgica eram muito cobiçados. Todos que conhecem uma atividade operacional de uma siderúrgica sabem que o transporte interno do seu produto (o aço) é feito em pontes rolantes.

Dessa forma, o uso do capacete, um dos itens do EPIs Equipamento de Proteção Individual, é obrigatório e todos os funcionários são obrigados a usá-lo.

Implantamos quatro cores de capacete, o amarelo era para os funcionários do chão de fábrica, o azul, para os encarregados e supervisores, o verde, para os engenheiros e funcionários graduados e alta gerência, e o branco para os visitantes.

Os funcionários que utilizavam o capacete verde, a grande maioria, gostava de almoçar em casa e aproveitava para ir ao banco e comércio na hora do almoço, e o mais importante é que ostentavam o capacete na parte traseira dos carros (na época os carros mais usados eram o Fusca, Opala e Brasília) para que toda a sociedade visse que eram trabalhadores de alto escalão na siderúrgica. O mesmo não acontecia com aqueles que utilizavam os capacetes de cor amarela e azul, que não tinham o mesmo interesse.

Um dos principais objetos do kit de EPI dos funcionários passou a ser um item de diferenciação de status, e isso deve acontecer em outras profissões: veja o médico, para se diferenciar do enfermeiro, carrega o estetoscópio no bolso ou no pescoço.

Mogi deve ter muitos ex-funcionários da Aços Anhanguera que continuaram a viver aqui, por isso, aproveitando a experiência do Darwin Valente com os casos na área política, quem tiver outras experiências interessantes, peço que envie para o meu e-mail: luiz@ciocchi.com.br LAC. Estou preparando um livro de memórias e gostaria de contemplar com o período que trabalhei na Aços Anhanguera S.A.

Luiz Ciocchi é advogado

-



Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone