Mogi-Dutra, uma duplicação difícil

Pela enésima vez, o projeto de duplicação do trecho final da ligação rodoviária Mogi das Cruzes-Via Dutra, entre os acessos para as rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra, sofre um novo adiamento. A concorrência pública cuja empresa vencedora seria anunciada oficialmente ontem foi suspensa, novamente em razão de uma intervenção do Tribunal de Contas do Estado, acionado por duas empreiteiras que discordam do fato de terem ficado de fora da concorrência. Em tempos de obras escassas, seria normal uma disputa mais acirrada por um trabalho como este. O que não se encaixa no mesmo sentido de normalidade é o fato de tais suspensões estarem ocorrendo em seguida, deixando no ar questionamentos sobre tais fatos. Por que tanta demora no início de uma obra de enorme importância para uma região com quase 2 milhões de habitantes, que será seguramente beneficiada pela duplicação do trecho de não mais que oito quilômetros de extensão? Segundo informou este jornal, em sua edição de ontem, as empresas alijadas do processo de concorrência pública estariam questionando três itens da licitação que já haviam sido respondidos pelo DER ao TCE em janeiro último, segundo nota do Governo do Estado. A ação do TCE indica que as respostas não satisfizeram aos conselheiros encarregados de julgar o processo relacionado à obra. O DER, representante oficial do governo paulista, terá 48 horas para responder o novo questionamento do TCE. E este, por sua vez, terá um prazo de até 50 dias para se posicionar diante das justificativas a serem apresentadas. Ou seja, enquanto o imbroglio vai ganhando novos desdobramentos, a obra não começa e os motoristas continuam correndo sérios riscos numa estrada de pista única e de grande movimento, que já deveria ter sido duplicada havia muito tempo. E a nós, que sempre defendemos a duplicação, só nos resta a indignação diante de tantos atrasos. Afinal, toda essa demora – por mais justificada que possa estar – também representa grande decepção para uma população que já poderia estar transitando numa estrada mais segura e longe dos riscos que representa a via atual, modesta demais para os modernos padrões de segurança.

Sustentável
O jornalista da Rede Globo e especialista em questões ambientais, André Trigueiro, estará em Mogi, no próximo dia 29, sábado, às 18h15, para uma palestra no Espaço Cultural do Centro Espírita Cáritas, no Socorro. O autor dos livros “Espiritismo e Ecologia”, “Viver é a Melhor Opção”, entre outros, irá abordar tema ligado ao meio ambiente e qualidade de vida.

97ª Havan
Após se instalar no Distrito de Braz Cubas, em Mogi, a Havan, poderosa rede de lojas de departamentos originária de Santa Catarina, irá inaugurar sua 97ª unidade junto com o Itaquá Garden Center, dia 29 de abril, em Itaquaquecetuba. Com isso, estará presente em 77 cidades e 14 estados, por meio de 97 lojas físicas que somam mais de 1 milhão de metros quadrados construídos. São 30 anos de atividades e 10 mil funcionários.

Apocalipse Now
O deputado federal Roberto de Lucena (PV) comparou a proposta de reforma trabalhista do atual governo ao “apocalipse”. Durante audiência pública para debater o assunto, na Câmara, o evangélico disse que “ao ouvir os tópicos do projeto, era como se estivessem se apresentando diante de nós os cavaleiros do apocalipse, trazendo uma tragédia sem precedentes na história relacionada aos direitos dos trabalhadores, sociais e movimento sindical”.

Crise?
Helbor, a gigante mogiana que atua na área de incorporação imobiliária em todo o País, tem assembleia marcada para o dia 28 deste mês. Além de votar sobre os resultados de 2016, eleger o Conselho de Administração, fixar a remuneração dos administradores e o orçamento de capital para este ano, os acionistas decidirão sobre o aumento de capital da empresa: dos atuais R$ 806 milhões para R$ 926 milhões.

Cotidiano

AI, AI, AI...  Shamell, o ala armador do Mogi/Helbor, faz careta ao ser vacinado contra a gripe na Clínica VacineJá, que dá apoio ao basquete. (Foto: Divulgação)
AI, AI, AI… Shamell, o ala armador do Mogi/Helbor, faz careta ao ser
vacinado contra a gripe na Clínica VacineJá, que dá apoio ao basquete. (Foto: Divulgação)

Frase
Manda quem pode, ODEBRECHT quem tem juízo…
Frase que circulava ontem pelos meios políticos de Brasília, a propósito de delações, listas de corruptos e afins