Mogi buscar recuperação em Macaé - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           ESPORTES

Mogi buscar recuperação em Macaé

Esportes

GERSON LOURENÇO
O técnico Guerrinha quer retornar do Rio de Janeiro para São Paulo com uma vitória. E a melhor chance para tornar em realidade o pedido do treinador será nesta quinta-feira (16) diante do Macaé, rival do Mogi/Helbor em pega programado para as 19h30, no Ginásio Juquinha, pela sexta rodada do returno da 9ª edição do Novo Basquete Brasil (NBB9). O time fluminense é um velho freguês da equipe mogiana. Na história dos times na competição nacional, são oito vitórias em 12 embates para o grupo do Alto Tietê.

Apesar do revés no primeiro turno em pleno Ginásio Municipal, o Mogi pode ser considerado favorito no pega de hoje e mesmo fora de casa. O Macaé é o 15º e último colocado do NBB, com apenas três vitórias em 19 partidas – 15,8% de aproveitamento.

Uma grande chance para o Mogi vencer o duelo de hoje, se reabilitar na disputa (perdeu anteontem do Flamengo) e seguir na briga das quatro primeiras colocações – hoje os mogianos ocupam o quinto lugar, com 12 vitórias em 19 jogos e 63,2% de aproveitamento.

No primeiro turno, a derrota diante do Macaé, em casa, levou o técnico Guerrinha a reunir o grupo e cobrar melhor aproveitamento após estudo da comissão técnica. O treinador queria ver o time com uma postura vencedora desde o início da partida para controlar o jogo.

Após o duelo, o Mogi emplacou uma série de cinco vitórias, que foi quebrada anteontem. “Macaé não tem a mesma experiência, a mesma quantidade de jogadores de nível que tem o Flamengo, mas será um jogo duro e disputado da mesma forma. Mas nós temos que nos impor”, disse Guerrinha após a derrota no Ginásio do Tijuca.

O treinador, apesar do revés, gostou da atuação do time frente ao Flamengo. “Achei que o time se superou. Alguns poderiam ter rendido um pouquinho mais, mas o time se superou. Fez um jogo duro, difícil e equilibrado”, disse Guerrinha.

O técnico mantém o discurso. O Mogi precisa pontuar com todos os jogadores, ter atenção na defesa e caprichar nos arremessos. “Com toda a qualidade do Flamengo, levamos 96 pontos e fica difícil ganhar fora de casa”, ressaltou Guerrinha.

O jogo de hoje é o segundo de uma série de quatro que o Mogi terá até o final deste mês – todos fora de casa. Após Macaé, o grupo terá pela frente o Basquete Cearense (dia 22), em Fortaleza, e o Vitória (dia 25), em Salvador. São locais com altas temperaturas e que ajudam a desgastar os jogadores.

Após os quatro jogos fora de casa, o Mogi terá quatro duelos em casa contra Brasília, Minas, Campo Mourão e Pinheiros – todos os jogos em março. A etapa de classificação termina em abril, quando os mogianos vão atuar em Bauru e Franca.



Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone