JAC T6 investe em preço atraente - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           AUTOMOTOR

JAC T6 investe em preço atraente

Automotor

A JAC já está presente no Brasil há quatro anos, mas ainda sofre com o preconceito de muitos consumidores à origem chinesa da marca. Para tentar conquistar uma fatia maior de público, a fabricante decidiu apostar no segmento que mais cresce no país e no mundo: os utilitários esportivos. Por isso, em junho desembarcou no país o seu T6. E adotou a mesma estratégia de quando começou a vender seus carros por aqui: oferecer mais por menos.

Desta vez, nem tanto no quesito tecnológico, já que a própria legislação brasileira avançou – itens como airbags frontais e freios ABS são obrigatórios – e os modelos do segmento são vendidos em versões mais completas. A JAC investiu na ideia de ter um utilitário esportivo com preço de compacto e espaço de médio em uma versão única, apenas com dois pacotes extras de opcionais.

Desenvolvido no Centro de Design da JAC Motors em Turim, na Itália, o T6 tem dimensões maiores que todos os novatos concorrentes. Perde apenas para o Renault Duster na distância entre-eixos – são 2,64 metros contra 2,67 metros. O modelo chinês tem 4,47 mertros de comprimento, 1,84 metro de largura e 1,67 metro de altura. Outro detalhe que chama atenção é o bom espaço de seu porta-malas, com capacidade para transportar 610 litros com todos os bancos levantados.

A JAC separa o T6 em três pacotes de itens. O primeiro, mais básico, inclui rodas de 17 polegadas em aço com calotas, ar-condicionado, direção e trio elétricos, freios a disco nas quatro rodas, monitoramento de pressão dos pneus, computador de bordo, sensores de estacionamento traseiros, rádio com CD/MP3 e entrada USB. Com esses equipamentos, o T6 custa R$ 69.990.

O preço pula para R$ 73.990 com central multimídia, bem completa, por sinal, rodas de liga leve, chave com destravamento remoto das portas, luzes de setas nos retrovisores, barras longitudinais no teto, faróis e lanternas de neblina, acendimento automático dos faróis, maçanetas e frisos laterais cromados e retrovisores com rebatimento elétrico, entre outros itens. Câmara de ré, chave canivete e revestimento sintético nos bancos e no volante multifuncional fazem esse valor pular para R$ 75.990.

Sob o capô, o T6 recebe um motor 2.0 litros flex com comando de válvulas variável. O propulsor é capaz de fornecer 155 cv e 20 kgfm de torque quando abastecido com gasolina. Com etanol no tanque, os números sobem para 160 cv e 20,6 kgfm de torque. O resultado é um zero a 100 km/h em 12,2 segundos e velocidade máxima de 186 km/h. Por enquanto, o modelo está disponível apenas com transmissão manual de cinco marchas. De acordo com a JAC, a versão automática só chega ano que vem, aliada a um motor 2.0 litros turbinado.(Márcio Maio/AutoPress)

 

 

PONTO A PONTO



Desempenho – Para um utilitário de quase uma tonelada e meia, o T6 até acelera com desenvoltura. O torque máximo de 20,6 kgfm com etanol é alto e aparece em sua totalidade aos três mil giros. Ou seja, para manter o modelo “aceso”, é necessário pisar fundo e deixar as rotações sempre mais altas. O câmbio tem engates precisos e até macios, mas a falta de uma opção com trocas automáticas é lamentável neste segmento familiar. Nota 7

Estabilidade – A proposta do T6 nem é de uma tocada mais ousada, porém o SUV chinês se mostra surpreendentemente estável na estrada. Por se tratar de um carro com vocação claramente familiar, a suspensão é mais voltada para o conforto, o que resulta em rolagens e torções na carroceria em curvas mais acentuadas. Mas não chegam a transmitir insegurança.Nota 8

Interatividade – Os comandos têm leitura simples e localização intuitiva. A visibilidade é boa tanto à frente quanto atrás. A central multimídia opcional, disponível na versão avaliada, permite espelhar alguns smartphones e tablets, facilitando o uso de aplicativos como o navegador Waze, por exemplo. Nota 8

Consumo – O JAC T6 não foi avaliado pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro. Durante a avaliação, registrou média de 7,6 km/l de etanol em ciclo misto. Nota 7

Tecnologia – O modelo da marca chinesa é bem recheado nesse sentido. Estão lá freios a disco nas quatro rodas, monitoramento de pressão dos pneus, sensores de estacionamento traseiros, rádio com CD/MP3 e USB, computador de bordo, ar condicionado e direção elétrica. A central multimídia opcional é extremamente funcional, espelha celulares e tablets e tem entrada HDMI, além de navegador GPS. Com todos os opcionais, ela também reproduz as imagens da câmara de ré. Nota 8

Conforto – O espaço interno é o forte do SUV da JAC. Os cinco ocupantes desfrutam de uma grande área, sem nenhum aperto. A suspensão também é bem calibrada e consegue passar boa dose de conforto para o interior. O isolamento acústico poderia ser um pouco melhor. Nota 8

Habitabilidade – O porta-malas do T6 é bem generoso. São 610 litros sem precisar contar com o rebaixamento dos bancos, que está disponível. As portas abrem em bom ângulo e permitem fácil acesso ao interior. Há nichos suficientes para guardar os objetos que necessitam estar mais à mão do motorista, como carteira, celular e chaves. Nota 9

Acabamento – É de longe o JAC mais bem resolvido nesse quesito. Não é luxuoso ou requintado, mas os plásticos parecem de boa qualidade e são, na maioria das partes, escuros. Alguns brilhantes, que imitam madeira. O uso de cromados é mais contido e os encaixes são bons, sem rebarbas aparentes. Nota 7

Design – O JAC T6 tem porte vistoso e seu design foi todo desenvolvido no centro de design da marca em Turin, na Itália. As linhas são modernas e, ao mesmo tempo, deixam o SUV encorpado. Há apliques cromados por toda a grade e também na parte inferior dos vidros laterais, além das maçanetas. O desenho lembra bastante o do Hyundai ix35, inclusive as proporções. Nota 8



Custo/beneficio – A marca cobra R$ 69.900 iniciais pelo T6, mas esse valor chega a R$ 75.990 com os opcionais retrovisores pintados na cor da carroceria e com rebatimento elétrico, maçanetas e frisos laterais cromados, barras longitudinais no teto, câmara de ré e central multimídia, entre outros detalhes. Um Renault Duster equipado à altura custa R$ 73.940, enquanto um Ford EcoSport com transmissão automatizada de dupla embreagem, controle eletrônico de tração e estabilidade e assistente de partida em rampas parte de R$ 76.700, mas com rodas de 15 polegadas e central multimídia sem GPS. O Honda HR-V tem motor 1.8 de 140 cv e só começa a ficar equipado de forma similar ao T6 na versão intermediária EX, por R$ 82.400 com câmbio CVT. Um Peugeot 2008 1.6 THP sai mais caro que o JAC, a R$ 79.590, mas tem motor turbo, é mais bem acabado e equipado com várias tecnologias ausentes no utilitário chinês. Um Jeep Renegade 1.8 Flex de 132 cv sai a R$ 75.750 equipado à altura de um T6, sendo que há controles dinâmicos de estabilidade e tração de série. Nota 6

Total – O JAC T6 somou 76 pontos em 100 possíveis.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone