Ford Focus seduz pela tecnologia - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           AUTOMOTOR

Ford Focus seduz pela tecnologia

Automotor

A configuração sedã do Ford Focus nunca figurou entre os mais vendidos do segmento no país. Para se manter competitiva, a aposta da Ford tem sido o recheio tecnológico. E isso se comprova facilmente na configuração de topo do sedã médio, a Titanium Plus. Além de um trem de força capaz de impressionar por seu desempenho esportivo, o carro entrega comodidades que não existem mesmo em concorrentes de fabricantes premium. E passou por um recente “face-lift”, lançado em agosto do ano passado.

As alterações visuais afetaram principalmente a dianteira, com a grade avantajada em forma de “boca”, e o perfil, com caimento levemente acentuado no teto, atrás. A marca até chama o modelo de Focus Fastback, em função do diminuto terceiro volume. As versões com a nomenclatura Titanium ganham ainda barras cromadas na grade frontal e rodas exclusivas.

Com a reestilização do Focus sedã, a Ford unificou o design de seu portfólio de carros de passeio e reforçou o que parece ser um dos principais pilares de sua área de marketing: a imagem de conectividade. A central multimídia tem tela sensível ao toque de oito polegadas com navegador GPS incorporado. Além disso, há Bluetooth, comandos de voz em português para áudio, telefone, GPS e ar-condicionado, câmara de ré, sistema AppLink com novos aplicativos e assistência de emergência – quando há um telefone conectado via Bluetooth, ele liga sozinho para o serviço de atendimento médico de urgência em caso de acidentes com acionamento dos airbags ou corte de combustível. A chave é presencial, com acesso ao veículo e partida do motor a partir de botões.

O Ford Focus Titanium Plus sedã sai de fábrica com assistente de frenagem autônomo, que evita a colisão em velocidades até 20 km/h e reduz de forma significativa o impacto a até 50 km/h. Outro item exclusivo da assinatura “Plus” é o sistema de estacionamento automático de nova geração, que funciona em vagas paralelas e perpendiculares. A segurança na direção é ampliada também com os faróis bixênon adaptativos, que ajustam a iluminação de acordo com a direção que o carro recebe. A configuração de topo garante ainda teto solar para o sedã médio, sistema de som premium da Sony, sensor de estacionamento dianteiro, espelhos com rebatimento elétrico e banco do motorista com ajustes elétricos. E custa R$ 104.590, ou seja, R$ 9.300 a mais que a versão Titanium.

O motor é o mesmo há três anos. O que, na verdade, não é nenhum demérito. Trata-se de um 2.0 litros de 178/175 cv com etanol/gasolina no tanque, que é sempre acompanhado pela transmissão automatizada de seis velocidades e dupla embreagem, com possibilidade de trocas sequenciais de marchas no volante. Com os 1.414 quilos da versão, impressiona a excelente relação peso/potência de 7,9 kg/cv. (Márcio Maio/AutoPress)

  • Ford Focus
    Ford Focus
  • Ford Focus
    Ford Focus
  • Ford Focus
    Ford Focus
  • Ford Focus
    Ford Focus

Desempenho – O motor 2.0 litros de 178 cv e 22,5 kgfm com etanol no tanque esbanja disposição e traz boa agilidade para o sedã médio. A transmissão automatizada de dupla embreagem e seis marchas explora bem a faixa de trabalho do propulsor. Há força de sobra para acelerações mais vigorosas em todos os giros, apesar do torque máximo aparecer somente em 4.500 rpm. Nota 9

Estabilidade – A sensação de segurança no três volumes é constante. A direção tem boa firmeza em velocidades elevadas e a suspensão trabalha de forma eficiente nas curvas. O carro se mantém no trajeto apontado sem grandes problemas. Além disso, todas as versões do Focus sedã têm controle eletrônico de tração, estabilidade e torque em curvas. Nota 9

Interatividade – O sedã se sai muito bem nesse quesito. A central multimídia é funcional e de utilização bem simples, com tela de oito polegadas. O ar-condicionado é digital de duas zonas. Todos os comandos do carro estão bem situados. Os ajustes do banco do motorista são elétricos e até estacionar o carro vira uma “moleza” com o sistema semi autônomo, em que o condutor só precisa controlar o câmbio e o pedal do freio para que o carro entre na vaga. Nota 10

Consumo – O InMetro testou o modelo, que registrou médias de 6,7/9,9 km/l na cidade e 8,5/12,4 km/l na estrada com etanol/gasolina no tanque. Esse resultado lhe conferiu classificação B no segmento e C no geral, com consumo energético de 2,03 mJ/km. Nota 7



Conforto – Os bancos dianteiros são espessos e a espuma tem ótima densidade, o que favorece os ocupantes da frente. Por outro lado, o espaço, que já não é tão farto assim para um sedã médio, fica prejudicado atrás. Dependendo do ajuste utilizado pelo motorista e seu carona, surgem apertos no assento traseiro. A suspensão filtra os desníveis do solo com eficiência e o isolamento acústico garante o mínimo de barulho no habitáculo. Nota 8

Tecnologia – A terceira geração do Focus está no meio de sua vida útil – foi lançada no fim de 2010 na Europa e nos Estados Unidos, mas apenas em 2013 chegou ao Brasil. A plataforma é moderna e dá suporte a versões elétricas e híbridas lá fora. A versão Titanium Plus 2.0 traz itens importantes de segurança, como controles eletrônicos de estabilidade e tração e seis airbags. O câmbio automatizado de dupla embreagem é moderno, assim como o sistema multimídia. Nota 9

Habitabilidade – Os nichos para objetos são bons e o porta-malas leva razoáveis 421 litros. O caimento do teto prejudica um pouco passageiros mais altos nos assentos traseiros e o espaço para pernas também não é dos melhores atrás. Nota 7

Acabamento – O interior mistura peças emborrachadas, plásticas e com revestimento em couro. É uma cabine bem sóbria, sem luxos. Não é feia ou com materiais que aparentem má qualidade, mas normalmente espera-se mais de um carro cujo preço ultrapassa seis dígitos. Nota 7

Design – O Focus sedã passou por um “face-lift” no ano passado, quando adotou a generosa grade em forma de “boca” que caracteriza a atual assinatura visual da Ford. Na versão de topo Titanium, suas barras são cromadas. Os faróis estão mais longos e afilados e, na versão mais cara, são compostos de LEDs com bi-xenônio adaptativos, que regulam o facho de luz de acordo com a direção e velocidade. O teto ganhou caimento mais acentuado na traseira e as lanternas foram “espichadas”. É um sedã charmoso. Nota 8

Custo/benefício – A Ford cobra R$ 104.590 pelo sedã Focus Titanium Plus 2.0, mas ele é o mais tecnológico de sua categoria. O único mais caro é o Volkswagen Jetta Highline, com motor turbo 2.0 de 211 cv, que custa exorbitantes R$ 120.524 completo. O Toyota Corolla Altis 2.0 de 153 cv custa R$ 102.990, uma diferença bem pequena. Todos os outros concorrentes se posicionam em valores cerca de 10% ou 15% menores. Para quem não faz questão de um recheio tecnológico tão farto, existem outras opções mais vantajosas. Nota 6

Total – O Ford Focus Titanium Plus 2.0 sedã somou 79 pontos em 100 possíveis.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone