Focada no teatro infantil para educar - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIRCUITO

Focada no teatro infantil para educar

Circuito

Jamili Bensivenga Miguel se encantou pelos palcos na adolescência e não parou mais. (Foto: Eisner Soares)

Jamili Bensivenga Miguel se encantou pelos palcos na adolescência e não parou mais. (Foto: Eisner Soares)

“Dona Patinha Vai Ser Miss”, apresentado pelo Teatro Experimental Mogiano (TEM), foi o espetáculo responsável por despertar em Jamili Bensivenga Miguel o amor pelos palcos. Ela tinha apenas 13 anos e quando viu toda a transformação em cena de sua irmã Cida, que integrava o elenco, gostou de tudo aquilo imediatamente. A mogiana, então, começou a fazer aulas no mesmo grupo e um ano depois já estava atuando na peça “Excelência”. Os anos se passaram e, além de atriz, Jamili passou a ser também produtora cultural, atuando principalmente em secretarias de educação e em escolas. Em 1989 fundou seu grupo, que hoje leva o nome de Tearts Produções Artísticas.

Logo aos 15 anos Jamili foi morar sozinha. Ela abriu então uma pensão no Centro de Mogi das Cruzes, e acabou levando o teatro mais como um hobby. Entretanto, fez amizades que a levaram para a televisão. Ela chegou a ter contato com a Globo, para fazer parte do elenco de “Viva o Gordo”, programa que tinha Jô Soares como protagonista. Esteve também na extinta TV Tupi. Quando conseguiu um papel em uma novela, foi enganada por uma secretária. Ali teve a maior decepção da carreira. Na época, morando na Capital, fazia também participações como jurada em circos. Ela decidiu que voltaria à Cidade.

Baseada nos conceitos do espiritismo, religião que segue, Jamili afirma que sempre teve a intenção de melhorar o planeta e, para isso, focou nas crianças. Durante anos a atriz pensou em projetos para os pequenos, que os levassem mensagens positivas e educativas. Foi em Suzano que encontrou sua primeira oportunidade de trabalhar junto a uma Secretaria de Educação. Ela desemprenhou a função por oito anos e desenvolveu o “Nosso Bairro, Nossa Gente”, a “Mostra Interescolar de Peças Curtas” e muitas outras atividades nas escolas da cidade vizinha. Na época, a mogiana chegou a ganhar o prêmio de destaque na cultura do Alto Tietê.

Depois disso, ela teve ainda a oportunidade de levar seus projetos à Bertioga, onde ficou por três anos. Na Região pôde ainda trabalhar em Ferraz de Vasconcelos, Poá, Santa Isabel e Arujá. Quando não estava mais ligada à nenhuma prefeitura, foi para os palcos com a Tearts. Ela conta que fazia apresentações em Mogi por quase cinco meses e depois saia com o grupo em apresentações por cidades de São Paulo, como São José dos Campos, Taubaté, Caraguatatuba e muitas outras.

Hoje, o espaço do Vasques já não é mais o mesmo, assim como o interesse das crianças, mas Jamili não desiste apresentando sempre peças educativas, ela acredita que o que mais chama atenção dos jovens são os grandes musicais e histórias da Disney. Mesmo assim, ela, ao lado da sócia Solange Camargo, visita inúmeras escolas por mês, na intenção de conquistar os pequenos. Outra atenção que ela deseja atrair é a dos empresários, para que eles possam investir na Tearts. (Larissa Rodrigues especial para O Diário)

Curto-Circuito
Viver em Mogi é… Uma grande satisfação, pois adoro minha cidade, sou mogiana de coração.

O melhor da Cidade é… Sempre foi apaixonada pela arquitetura de Mogi, lutei muito por esta conservação, mas infelizmente com pouco sucesso, mas ainda temos o teatro Vasques, que muito me orgulha. Gosto muito do clima da cidade e dos amigos , principalmente porque minha famiília reside em Mogi.

E o pior? A falta de respeito com o meio ambiente, a destruição de nossa serra do Itapeti.



Sinto saudade da… Sinto muita saudade dos antigos monumentos, principalmente o coreto da praça da marisa

Encontro paz de espírito… Adoro a mata, costumo ir muito no Pico do Urubu, uma beleza incomparável mogiana, e também em meu lar.

Pra ver e ser visto… Teatro Municipal Vasques

Meu prato preferido é… Como descendente de ltalianos uma boa macarronada e também tabule

Livro de cabeceira… Atualmente é o Pequeno Príncipe, até porque estou apresentando a peça de teatro O Pequeno Príncipe no Planeta Água.

Peça campeã de uso do meu guarda-roupa? Calça jeans

O que não tem preço? O amor

Uma boa pedida é… Estar sempre com minha familia

É proibido… Falta de lealdade.



A melhor festa é… Natal em família

Convite irrecusável… Assistir uma peça de teatro

O que tem 1001 utilidades? Amizade

Meu sonho de consumo é… Um patrocinador para realização do projeto de meus sonhos

Qual foi o melhor espetáculo da minha vida? O nascimento de meus dois filhos

Cartão-postal da Cidade… Visão de Mogi a noite na estrada da Mogi Dutra

O que falta na Cidade? Falta teatro, patrocínios que fomente a cultura.

Qual é a química da vida? Amor

Deus me livre de… Traição

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone