Festa quer atrair 180 mil devotos

Equipe cuidava ontem dos últimos preparativos da área que receberá a quermesse da Festa do Divino a partir da noite de hoje / Foto: Eisner Soares
 

Mogi das Cruzes inicia hoje (5) a Festa do Divino Espírito Santo de 2016, que acontecerá até o próximo dia 15, como o tema “Divino Espírito Santo, derramai sobre as famílias a graça da Misericórdia”. Durante o evento, considerado uma das maiores manifestações religiosas do País e com mais de 400 anos de história e extensa programação cultural, folclórica e religiosa, atrai devotos e visitantes que participam das alvoradas, novenas, procissões e da tradicional quermesse.

Um dos eventos de maior destaque da Festa do Divino é a Entrada dos Palmitos, um espetáculo folclórico que conta com público da Cidade e de todo o Alto Tietê, que se reúne para assistir ao grandioso cortejo, que cobre de vermelho as ruas centrais, com a presença de festeiros, capitães de mastro, rezadeiras, carros de boi, cavaleiros, grupos de congada, marujada e moçambique, entre outras atrações. A quermesse também leva milhares de pessoas todas as noites para momentos de diversão no Centro Municipal Integrado Deputado Maurício Nagib Najar, no Mogilar. Além dos doces, uma das comidas típicas mais apreciadas é o tradicional afogado. Neste ano, são esperadas 180 mil pessoas nos 11 dias de quermesse.

Toadas as noites também acontecem as novenas, na Catedral de Santana, cada dia celebrada por um padre convidado. Outro ponto de destaque são as alvoradas, sempre a partir das 5 horas. Os devotos seguem em cortejo, rezando pelas ruas centrais da Cidade, numa demonstração de fé e religiosidade. A cada dia é destacado um dos sete dons do Espírito Santo: Fortaleza, Ciência, Conselho, Sabedoria, Piedade, Entendimento e Temor a Deus.

O casal de festeiros do Divino de 2016, Mônica de Sousa Mello e Sérgio Braz de Souza, se empenhou durante um ano, cuidando dos preparativos para que a festa seja “coroada de sucesso”. O evento religioso contará com a participação de 26 entidades e paróquias do Município. “Apesar da preocupação e responsabilidade para que tudo corra bem, estamos felizes com nosso trabalho e com a participação das pessoas que estão empenhadas em nos ajudar nesse grandioso evento”, comentou.

Souza disse que a presença dos devotos em todas as celebrações preparatórias superou as expectativas, assim como a disposição dos voluntários em ajudar na realização dos festejos. Ele destacou, especialmente, a ajuda da Diocese de Mogi, da Associação Pró-Divino, das rezadeiras, doceiras, do pessoal do afogado e dos 250 voluntários envolvidos nas atividades.

O festeiro aproveitou para reforçar o convite a toda população e acredita que a “religiosidade dos mogianos possa superar esse momento de crise econômica”, por isso espera um público de 10 a 15 mil pessoas por dia na quermesse. Ele explicou ainda que a escolha do tema deste ano foi inspirada no Ano da Misericórdia, instituído pelo Papa Francisco. “Este é um ano de amor e de misericórdia, que é a mensagem de amor e de necessidade de ajuda ao próximo que queremos deixar à população”, disse.

Nas últimas semanas, os festeiros e os capitães de mastro, Helena Kioko Mori Fujii e Ciro Fujii, também participaram da instalação dos subimpérios em vários pontos da Cidade, como repartições públicas, estabelecimentos de ensino, organismos da igreja e diversos locais, a fim de resgatar a religiosidade das pessoas e propagar a festa. O trabalho de divulgação é feito também em parceria com o jornal O Diário e TV Diário.

A Festa do Divino possui relatos de sua existência desde o século XVII, mantendo até hoje o folclore, com vários aspectos particulares, como o Império montado na Praça Coronel Almeida para a visitação pública. Outro destaque é a variedade da culinária típica, como o afogado (ensopado à base de carne e batata), o tortinho (bolinho caipira em formato de meia lua confeccionado com farinha de milho branca e farinha de mandioca), churrasco, entre outros. (Silvia Chimello)

Leia a matéria completa na edição impressa