Falta de CEP e acidentes são problemas na Avenida Júlio Simões - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

Falta de CEP e acidentes são problemas na Avenida Júlio Simões

Cidades, DESTAQUE

A disposição numérica dos imóveis ainda é confusa. (Foto: Arquivo)

A disposição numérica dos imóveis ainda é confusa. (Foto: Arquivo)

Larissa Rodrigues
Em Braz Cubas, desde a canalização e urbanização do entorno do Córrego dos Canudos e da construção da Avenida Julio Simões, problemas recorrentes incomodam os moradores do local. Entre as principais questões estão a falta de um CEP para a via e, também, os constantes acidentes automotivos que acontecem por lá devido à imprudência dos motoristas, que chegam a disputar rachas e a realizar conversões proibidas.

Ismael Lima de Almeida é proprietário de uma loja de produtos destinados a animais localizada na via e conta que não ter um CEP correto o prejudica nos negócios e também na vida pessoal. “Eu tive que pagar pelo documento do meu carro duas vezes, porque a primeira vez eles não encontraram o meu endereço. E não é só pelo dinheiro, mas tive o trabalho de fazer tudo duas vezes. Os fornecedores do meu estabelecimento muitas vezes também não conseguem me encontrar”, reclamou.

A disposição numérica dos imóveis ainda é confusa. Além de algumas casas levarem a mesma numeração, ela não está em ordem. Ismael afirma que um novo código de endereçamento chegou a ser designado para a via, mas que era, na verdade, de uma localidade na Vila Brasileira. A Prefeitura explica que criou um Grupo de Trabalho para adotar as medidas necessárias para a resolução dos problemas de recebimento de correspondências pelos moradores da Avenida Julio Simões. Dentro das ações deste grupo, a Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo já realizou todos os levantamentos dos imóveis existentes ao longo de toda via e a confrontação destes dados com o Cadastro Imobiliário Municipal. Como resultado, foi possível designar os novos números para o endereço. O próximo passo será o lançamento da nova numeração nos cadastros de cada um dos imóveis.

Trânsito
Este, entretanto, não é o único problema destacado pelos moradores da região. Os acidentes são constantes na Avenida Julio Simões, muitas vezes por insensatez dos próprios motoristas, que ultrapassam a velocidade máxima permitida ou apostam corridas de carros e motos.

“Sempre têm as corridas, a gente sempre vê os motoqueiros correndo e sem capacete. Os acidentes acontecem muito. Os carros em alta velocidade também batem nas grades e acabam as estragando. Este final de semana mesmo teve um acidente de carro”, contou Sulamita Moreira, que reside próximo à Avenida.

Ismael confirma que os rachas acontecem com frequência, mas que a falta de cautela por parte dos motoristas vai ainda além. “Eles sempre estão por aqui correndo, mas este não é o único problema. Muita gente que vai entrar na Julio Simões, vindo da Avenida Japão, faz uma conversão proibida”, disse.

Questionada sobre as críticas de excesso de velocidade, a Secretaria Municipal de Transportes informou que a Avenida Julio Simões conta com fiscalização eletrônica realizada por equipamento estático, popularmente conhecido como radar móvel, em vários pontos ao longo da via, que encontra-se devidamente sinalizada. Quanto aos rachas, a fiscalização é de responsabilidade do órgão estadual, no caso, a Polícia Militar. Frente à reclamação, a SMT está solicitando à corporação o reforço na fiscalização de trânsito naquela região.

Lixo
Um terreno localizado na Rua Morumbi, em Braz Cubas, próximo à Avenida Julio Simões, está sendo utilizado para o despejo de lixo e tem incomodado moradores da região. Segundo Rosevelt Ledesma Casado, que mora ao lado da área, o ato já se tornou um hábito para algumas pessoas, o que acaba mau cheiro e bichos ao local.



“Até existia um muro fechando o terreno, mas foi derrubado e o acesso ficou fácil. Sendo assim, sempre jogam de tudo lá e isso é muito ruim”, afirmou Rosevelt. A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos informou que trata-se de área municipal, que se tornou um dos “pontos viciados” de descarte irregular de lixo e entulho da Cidade. Isto é, um local onde é recorrente o ato, executado por terceiros, de depositar de forma irregular lixo, entulho e outros materiais. Por isso também o local recebe trabalhos recorrentes de limpeza. A próxima está programada para este mês. Já o muro foi derrubado pelos mesmos que executam o descarte.

O despejo irregular de lixo, em caso de flagrante, é passível de multas, cujos valores variam, conforme o tipo de material descartado.

 

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone