Estudantes da UMC expõem releitura de 'O Grito' no Terminal Central - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CADERNO A - CAPA

Estudantes da UMC expõem releitura de ‘O Grito’ no Terminal Central

Caderno A - Capa

Peças podem ser conferidas no Terminal Central. (Foto: Eisner Soares)

Peças podem ser conferidas no Terminal Central. (Foto: Eisner Soares)

LUCAS MELONI
Em meio à correria do dia a dia, algumas fotografias chamam a atenção de quem passa pelo Terminal Central de Mogi das Cruzes. São rapazes e garotas, estudantes dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), que fazem uma releitura contemporânea do quadro “O Grito”, do artista plástico norueguês Edvard Munch. As imagens da mostra “Eu Grito” podem ser conferidas até 13 de fevereiro. O acesso é gratuito.

A ideia partiu do professor de Fotografia e História da Arte da UMC, Claudinei Nakasone, que decidiu estimular os alunos a fazerem recriação da obra durante as aulas do movimento expressionista, em que se enquadra a pintura de Munch.

“Durante as aulas sobre expressionismo, a gente analisou a obra ‘O Grito’. O trabalho era que eles pudessem fazer uma releitura do clássico a partir da vida deles. Então, cada um recriou a obra a seu modo, em situações de felicidade, tristeza ou muita emoção. Cada um fez do seu jeito, no seu contexto. Cada aluno buscou as suas interrogações e trouxe para a imagem fotográfica e a arte gráfica uma estética singular que dialoga com Munch e com o universo que rodeia nossos sonhos, nossas angústias e esperança de um mundo melhor”, explicou o professor.

Ao todo, são 100 imagens em exposição. O projeto surgiu a partir do trabalho com criações do artista neerlandês Piet Mondrian, no ano passado.

Para os alunos, a oportunidade era a de expressar tudo o que sentem. Alan Rios Fávaro, de 24 anos, por exemplo, registrou a sua preocupação com o tempo. Ele imitou a famosa figura que grita, só que em frente a um relógio analógico. “O que me inspirou foi a passagem do tempo. Com o tempo, a gente consegue alcançar as coisas que planeja. É um assunto que me leva a pensar muito. O efeito dele nas nossas vidas, em como as pessoas e as situações se transformam no decorrer dele. A princípio, pensei em trabalhar com as manifestações de rua (que pediam o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff /PT), mas desisti porque achei que seria algo muito clichê”, afirmou o estudante do terceiro semestre de Publicidade e Propaganda.

Hikary Cristina Bueno, 18, gosta do mundo das letras. É uma “devoradora” de livros, como diz, e decidiu se registrar em frente a eles, numa livraria do shopping de Mogi. “Eu sou apaixonada por livros desde pequeno. Escrevo desde os meus 12 e quero fazer um livro. Quando surgiu a ideia de me retratar em frente a algo representativo, decidi fazer numa livraria”, justificou a aluna do terceiro semestre de Jornalismo.

A exposição faz parte da programação do Festival de Verão de Mogi. Os trabalhos podem ser conferidos até o próximo dia 13. O Terminal Central fica na Rua Professor Flaviano de Melo, 525, no Centro.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone