Estado anuncia 82 novos leitos para dependentes químicos no Dr. Arnaldo - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

Estado anuncia 82 novos leitos para dependentes químicos no Dr. Arnaldo

Cidades, DESTAQUE

A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde, que decidiu ampliar o atendimento para atender a demanda no Alto Tietê.  (Foto: Arquivo)

A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde, que decidiu ampliar o atendimento para atender a demanda no Alto Tietê. (Foto: Arquivo)

SILVIA CHIMELLO
O Governo do Estado autorizou a instalação de mais 62 leitos destinados a dependentes químicos no Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti, em Jundiapeba. Somando as 20 vagas já oferecidas no local, a unidade passará a disponibilizar, ainda este ano, 82 leitos para homens e mulheres que precisam de internação na Região.

A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde, que decidiu ampliar o atendimento para atender a demanda no Alto Tietê. A Pasta esclarece que já conseguiu aumentar em seis vezes o número de leitos para tratamento de dependentes químicos em todo o Estado, por meio do Programa Recomeço, saltando de 500, em 2011, para 3,3 mil atualmente, em serviços próprios ou conveniados. Todos são custeados integralmente pelo tesouro estadual.

No entanto, a Secretaria esclarece que a internação de dependentes químicos só é indicada para casos mais graves. Os demais, segundo diretriz do Ministério da Saúde, devem ser acompanhados ambulatorialmente nos Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (Caps-AD), mantidos pelas prefeituras. Mogi conta com uma dessas unidades e busca recursos para implantar mais uma na Vila São Francisco.

O secretário municipal de Saúde, Marcello Cusatis, o Téo, demonstrou “surpresa” com a notícia sobre os novos leitos, porque a informação não havia sido repassada ainda à Prefeitura e nem ao Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). Mas disse que antes de comemorar, vai se informar sobre os detalhes do projeto para garantir que as novas vagas sejam destinadas a pacientes da Região. Esses dados não foram confirmados pelo Estado.

De qualquer forma, Cusatis afirma que a ampliação do número de leitos no Dr. Arnaldo vai contribuir muito com Mogi, que hoje encaminha pacientes a outras cidades para internações solicitadas por indicação médica e ordem judicial, já que não há no Município nenhuma clínica devidamente documentada para atender as exigências da Prefeitura. A concorrência aberta pela Administração Municipal foi vencida por duas unidades de reabilitação do interior de São Paulo, a Associação Beneficente dos Amigos do Recanto Renascer (Abarr) e Desafio Jovem Jeová – Rafa, em Hortolândia e Votorantim, respectivamente.

O contrato prevê teto anual de R$ 2.261.688,00, mas o acordo foi feito por meio de uma modalidade que permite o pagamento apenas do serviço quando há demanda. A Secretaria esclarece que atualmente existem 14 pacientes atendidos pelo sistema, o que representa um gasto de R$ 126.830,00. Ao todo, serão 97 meses de tratamento. Há também duas internações de pacientes psiquiátricos ao custo de R$ 24.990,00, pelo período de 14 meses. “Normalmente os custos ficam abaixo do orçamento previsto. Os valores utilizados ficam em torno de 1/5 do contrato, cerca de R$ 440 mil”, esclarece Téo.

O vereador Mauro Araújo (PMDB) comemorou a notícia sobre a ampliação do número de leitos, serviço que ele e outros parlamentares vinham pedindo insistentemente desde 2010. “A demanda é grande, mas esses 82 leitos já representam um grande passo. Agora temos que garantir a prioridade para pacientes de Mogi”, declarou.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone