‘Essa missão é uma bênção divina’ - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

‘Essa missão é uma bênção divina’

Cidades

dedicação especial  Casais de capitães de mastro e de festeiros se mostram honrados e satisfeitos com a missão de comandar a Festa / Foto: Eisner Soares

Casais de capitães de mastro e de festeiros se mostram honrados e satisfeitos com a missão de comandar a Festa / Foto: Eisner Soares

Neste ano, a Festa do Divino de 2016 está sob o comando dos festeiros Sérgio Braz de Souza, de 56 anos, e Mônica de Sousa Mello, 52 anos. Ele é policial civil e ela, professora. O casal pertence à Paróquia São Maximiliano Kolbe, na Vila Lavínia, e tem atuação efetiva na igreja. Há 30 anos, integram a Equipe de Nossa Senhora de Guadalupe, movimento que reúne casais para seguir em direção à santidade.

“Para nós, assumir essa missão é uma bênção divina, uma grande provação pela qual vamos passar. Jamais imaginávamos que pudéssemos vir a ser escolhidos como festeiros, o que para nós foi motivo de muita alegria”, destacou Sérgio.
Moradores do Jardim Ivete, são pais de Brayna, de 30, e Najila, de 26. Foram indicados pelo padre Thiago Cosmo, assessor eclesiástico da Festa do Divino, que também auxilia o bispo diocesano dom Pedro Luiz Stringhini na escolha dos casais que estarão à frente do evento.
Mônica e Sérgio já atuou na Festa do Divino, em 2006, ano em que foram capitães de mastro junto com os festeiros da época, Horácio Cardoso da Silva e Rosângela Aparecida Almeida da Silva. “Mas isso foi há 10 anos, muito diferente de hoje. A festa cresceu muito e ganhou um grande destaque na Cidade. O que permaneceu foi a fé do povo, que é impressionante, porque representa o trabalho de evangelização”, comenta o festeiro.
Bastante animada, a festeira também destaca a importância do trabalho de evangelização que é feito durante todo o preparativo do evento, que começa com nove meses de antecedência. Mônica disse que está bastante otimista com os resultados deste ano. “Agora é o momento de colhermos os frutos do trabalho que realizamos”, observa. Destacou ainda a colaboração dos representantes da Associação Pró-Divino, da Igreja e dos mais de 300 voluntários envolvidos com a realização.

CAPITÃES DE MASTRO
O posto de capitães de mastro foi assumido pelo chefe de métodos e processos (aposentado) Ciro Fujii, de 58 anos, e pela assistente administrativa Helena Kioko Mori Fujii, de 57 anos. O diferencial nesta escolha é que esta é primeira vez em toda a história da Festa do Divino, em Mogi das Cruzes, de mais quatro séculos de história, que um casal da colônia japonesa assume a missão de auxiliar no evento, considerado um dos mais importantes para a Igreja Católica.
Ciro, de São Paulo, e Helena, de Tupi Paulista (interior do Estado), moram na Vila Lavínia e também integram um movimento de casais, o da Equipe de Nossa Senhora da Penha, há 15 anos. Eles são pais de Marcell, de 31; Caio, de 2​8; e Renan, de 2​3. “É com muita alegria que recebemos essa importante missão que Deus nos deu, uma verdadeira demonstração de fé. Desde quando fomos procurados pelo padre Thiago, nos colocamos, prontamente, à disposição dele, da Igreja, do Divino Espírito Santo”, comenta ele.
Ele disse ainda que o grande desafio é fazer com que a colônia japonesa participe mais da vida na Igreja Católica: “Nosso objetivo como descendentes de japoneses é levar a evangelização para as colônias do Alto Tietê. Pretendemos fazer com que eles participem mais”, declarou.

 

Festeiro é o imperador do Divino

O festeiro representa a figura central em todas as celebrações, rituais e organização da festa. É conhecido também como imperador do Divino. O casal de festeiros tem a função de angariar recursos e de fazer o controle administrativo do evento, promover a instalação de subimpérios e fazer a divulgação da festa. Antigamente era na casa dos festeiros que ficava o Império, principal altar em louvor ao Espírito Santo onde são expostos a coroa, o cetro e as bandeiras dos devotos. Atualmente o Império fica na praça da matriz. Os nomes são escolhidos pela Igreja, com a ajuda de ex-festeiros e leva-se em conta a vida religiosa e o bom relacionamento com a comunidade. O casal de capitães de mastro é o principal colaborador dos festeiros em eventos e rituais da festa. A função mais importante é a de guardar e preparar um mastro para ser erguido à frente da matriz. (Silvia Chimello)

 

Programação



Hoje
05h – Alvorada, na Praça Coronel Benedito de Almeida
08h – Divino Verde: Tema “4ª Caminhada Ecológica da Misericórdia” – Concentração e saída em frente ao Parque Botyra Camorim Gatti, Centro Cívico, seguindo até o Parque Centenário, em César de Souza, onde haverá o plantio de mudas.
8h30 – Concentração dos grupos de congada e Moçambique no Largo do Rosário e Coroação do Rei e da Rainha do Congo, em seguida, no Largo Bom Jesus
14h – Quermesse, no Mogilar
15 h – Missa Campal, com o padre Wally Soares, da Paróquia São Judas Tadeu, de Suzano, na quermesse
19h30 – Novena presidida pelos freis Vasco Crocoli e frei Leonardo Matsuo, da Paróquia São Maximiliano Kolbe e Passeata das Bandeiras
Amanhã
05h – Alvorada, na Praça Coronel Benedito de Almeida
15h às 17h: Tarde dos folguedos Infantis Benedito Dias, na Quermesse, no Mogilar
14h – Quermesse, no Mogilar
19h30 – Novena, na Catedral de Santana, celebrada pelo padre António Robson Gonçalves, vigário-geral da Diocese e Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Em seguida, a Passeata das Bandeiras, com a participação da Folia do Divino
Fonte: Diocese de Mogi das Cruzes, Associação Pró-Festa do Divino e Festival de Arte Popular do Alto Tietê

Fonte: Diocese de Mogi das Cruzes e Associação Pró-Festa do Divino

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone