Entre a Procuradoria do Estado e as artes - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CADERNO A

Entre a Procuradoria do Estado e as artes

Caderno A, Circuito

O curso de Direito já tinha sido a opção de alguns familiares de Bárbara Aragão. Mas ela, que hoje é procuradora do Estado de São Paulo e atua em Mogi das Cruzes, chegou a pensar também em seguir o caminho das artes, com a pintura e a poesia, mas deixou estes sonhos para mais tarde. Foi assim então que deu início a graduação na Universidade Federal Fluminense, em Niterói, no Rio de Janeiro, onde se formou em 2010. Foi lá também que concluiu, em 2012, sua pós em Direito Tributário.
Nascida na cidade de Barra Mansa, localizada na região Sul do estado do Rio de Janeiro, a procuradora morou por lá um longo período de sua vida. Quando ingressou na universidade se mudou para Niterói e foi lá que, antes mesmo de se formar, começou a trabalhar na Secretaria da Fazenda do Rio de Janeiro. Ela foi efetivada e permaneceu no emprego por um total de cinco anos.
Após este período, chegou à conclusão de que iria parar de trabalhar e se dedicaria integralmente aos estudos. Durante 2012 Bárbara passou 10 meses estudando. Ela fazia curso online e também estudava sozinha todos os dias. Naquele mesmo ano ela foi aprovada no concurso para ocupar uma vaga de procuradora do Estado de São Paulo.
Já no início de 2013 então ela se mudou para a Capital e prestava serviço nas cidades de Diadema e São Bernardo. Um ano e meio depois ela pediu a transferência para a Cidade e conseguiu. Por aqui, além de estar satisfeita com o local de trabalho, conheceu o noivo Fabiano Borba, com quem deve se casar no próximo ano. Satisfeita com a profissão, ela não pretende pensar em outra área do Direito tão cedo.
No ano passado ela foi ainda uma das fundadoras do “Olhares Humanos”, projeto do qual ainda faz parte. Atualmente, ela e mais seis pessoas formam um grupo de estudos e pesquisa de direitos humanos e fundamentais. Os eventos organizados por eles acontecem em São Paulo e algumas atividades já aconteceram, como a mostra do documentário “Sem Pena”, eles realizam também encontros mensais – que geram textos publicados em sites jurídicos – e este mês organizaram um evento que contou com a presença de Eduardo Suplicy.
O “Olhares Humanos” não é o único projeto de Bárbara. A procuradora pensa ainda em se aventurar no mundo das artes. Ela, que escreve desde criança, tem como plano escrever e publicar um livro de poesias. Ainda com o cunho artístico, ela também gosta muito de pintar, mas isto leva mais como um hobby. Sempre que pode ela visita a família em sua cidade natal. Por lá, eles gostam ainda de ir para a capital do Rio de Janeiro aproveitar a praia. (Larissa Rodrigues especial para O Diário)

  • Com o noivo Fabiano Borba;
    af100106-1
  • Com a família, em Paris
    af100106-2
  • Em pose especial em Portugal
    af100106-3

Curto Circuito

Viver em Mogi é…
Ter tranquilidade.
O melhor da Cidade é…
A natureza que a cerca.
E o pior?
Sinto falta de eventos culturais.
Sinto saudade da…
Minha família, que está no Rio.
Encontro paz de espírito…
Na pintura e na poesia.
Pra ver e ser visto…
Basta sair de casa.
Meu prato preferido é…
Cordeiro.
Livro de cabeceira…
Já fui muito de Osho, hoje vou de Tolstói.
Peça campeã de uso do meu guarda-roupa?
Scarpin.
O que não tem preço?
Estar com pessoas queridas.
Uma boa pedida é…
Uma conversa interessante acompanhada de um bom café.
É proibido…
Não pensar no outro.
A melhor festa é…
Com música e amigos.
Convite irrecusável…
Viajar.
O que tem 1001 utilidades?
Nós, mulheres. Fazemos papel de mãe, filha, esposa, cuidamos do corpo, da saúde e ainda trabalhamos fora. Igual a nós não tem.
Meu sonho de consumo é…
Publicar meu livro de poesias.
Qual foi o melhor espetáculo da minha vida?
Acho que a própria vida já é um espetáculo por si só. Mas meditar em Machu Picchu foi uma experiência única que nunca mais vou esquecer.
Cartão-postal da Cidade…
A Serra do Itapety.
O que falta na Cidade?
Uma mostra de filmes independentes cairia bem.
Qual é a química da vida?
Coragem e amor.
Deus me livre de…
Perder a fé.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone