Enem e a realidade da Educação

Marco BertaiolliAmanhã, cerca de 6,73 milhões de estudantes estarão debruçados sobre Matemática e Ciências da Natureza completando assim os dois dias de prova do Enem. Criada em 1998, a prova inicialmente tinha o objetivo de avaliar a qualidade da educação nacional. A partir de 2009, passou a ser o grande meio de ingresso às universidades. É através do Enem que os estudantes também podem garantir bolsa integral ou parcial nas instituições particulares e ter acesso ao ProUni ou Fies.

E é a partir daqui que gostaria de abrir alguns questionamentos. Ao mesmo tempo em que o Enem oferece uma luz aos estudantes de baixa renda, também pode ser o grande desmotivador para o aluno das escolas públicas. Basta dar uma olhada nas 180 questões, fora a Redação que tem um grande peso, para perceber o quanto esta prova nacional está desconectada da realidade brasileira.

Ninguém é louco para defender o fim do Enem. Ao contrário. A prova é o grande extrato da realidade nacional na área da Educação e deve servir para avaliar as mudanças necessárias para que não segreguemos ainda mais os jovens que sonham com uma vida melhor, que almejam uma formação universitária. Se isso não for feito, continuaremos a privilegiar aqueles com maior condição financeira em detrimento daqueles em que o perfil sócio econômico é menos favorecido.

A educação jamais pode ser a que segrega, que separa ricos e pobres, que imprimi uma barreira econômica e determina quem vai e quem não vai conseguir realizar seus sonhos, ter uma profissão e ser alguém na vida. As universidades públicas precisam cumprir o seu papel social porque são mantidas com recursos públicos, sejam do Governo Federal ou do Estado onde estão localizadas. E as particulares têm a obrigação de olhar ao seu redor e compartilhar seu campus com o meio onde está inserida.

Eu sinceramente espero que estes milhões de estudantes consigam obter os resultados que almejam, para o qual estudaram e dedicaram muitas e muitas horas. Mas também espero que os organizadores do Enem, que o Ministério da Educação e os agentes públicos e políticos deste País, utilizem esta imensa fonte de informação para dar um novo rumo para a Educação no Brasil. Espero que amanhã à noite tenhamos mais jovens motivados do que decepcionados com a escola onde estudam. Ou com o País onde vivem!

Marco Bertaiolli é ex-prefeito de Mogi das Cruzes e autor de livros sobre Saúde e Educação

Natan Lira

Natan Lira

Deixe seu comentário