Duplicar a Mogi-Bertioga, um plano muito distante - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           INFORMAçãO

Duplicar a Mogi-Bertioga, um plano muito distante

Informação

A julgar pelo andar da atual crise econômica, os usuários da ligação rodoviária Mogi das Cruzes-Bertioga podem se preparar para continuar enfrentando os longos congestionamentos que marcam as viagens pela estrada, principalmente durante os finais de semana de grande afluência de público nas praias. Apesar de uma viagem pelos 50 km da rodovia durar até quatro horas, transformando-se num verdadeiro teste de paciência para os motoristas, não há qualquer previsão da parte do governo estadual para uma obra de duplicação, única solução definitiva para os congestionamentos ao longo dos trechos de baixada, serra e planalto da estrada. Uma duplicação a essa altura das implicações ecológico-legais exigiria monumentais obras de engenharia. Algo como foi feito no Complexo Anchieta-Imigrantes, para evitar a ocorrência de devastação em reserva de Mata Atlântica da Serra do Mar. Um investimento elevado demais para um governo que vem adiando há anos uma obra muito mais simples, que é a duplicação da ligação Mogi-Via Dutra, prometida por inúmeras vezes, mas até agora não executada. A construção de grandes viadutos para transpor espaços de cursos d’água e de vegetação abundante em plena Serra é algo que passa distante dos planos governamentais. Sempre que questionado a esse respeito, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) muda de assunto, preferindo falar do que o seu governo realmente investiu para manter a estrada em boas condições de tráfego. Mas enquanto não é revogada a velha lei da Física, segundo a qual, dois corpos – ou carros – não podem ocupar o mesmo lugar no espaço, os problemas irão persistir na Mogi-Bertioga, até que a crise passe e surja um governo com recursos e coragem suficientes para investir na duplicação da rodovia. Quando isso acontecerá é impossível saber. Mas a esperança é o que não falta, principalmente entre os mogianos.

Na internet
A partir de hoje, as sessões da Câmara de Suzano poderão ser acompanhadas pelo Facebook (facebook.com/camarasuzano), na internet. Três câmeras adquiridas na legislatura passada serão operadas por funcionários do próprio Legislativo. Além da transmissão ao vivo, as gravações das reuniões ficarão disponíveis para serem consultadas, a qualquer momento, no YouTube.

Boa ideia, mas…
É de autoria do vereador Péricles Bauab (PR) o projeto de lei que institui incentivo fiscal a empresas que firmarem contrato de trabalho para o primeiro emprego em Mogi. O trabalho prevê isenção parcial de 15% a 25% do tributo devido no caso de as contratações se situarem entre 4% e 19,99% do número total de funcionários; e isenção entre 26% a 50% do tributo, se as admissões do primeiro emprego situarem-se entre 20% e 50% do total de funcionários. A proposta seria realmente muito boa, não fosse esbarrar na questão legal de interferência numa atribuição do Poder Executivo, o que pode inviabilizar a ideia.

Incompleto – 1
O Conselho de Ética da Câmara já tem seus titulares e suplentes escolhidos, porém até agora ainda não foram definidos o presidente e relator do grupo, encarregado de apurar eventuais condutas irregulares dos vereadores. Os titulares são Antonio Lino (PSD), Cuco Pereira (PSDB) e Mauro Araújo (PMDB), enquanto os suplentes José Francimário Farofa (PR), Caio Cunha (PV) e Iduigues Martins (PT).

Incompleto – 2
Até a manhã de ontem, no site oficial do Legislativo, o Conselho de Ética aparecia como sendo presidido pelo vereador Olimpio Tomiyama (PMDB), que sequer concorreu à reeleição e hoje é assessor político do prefeito Marcus Melo (PSDB) junto ao Legislativo.

Cotidiano

DE VOLTA Recolocada com a ajuda de um veículo do Corpo de Bombeiros, a bandeira gigante de Mogi está de volta à Praça Kazuo Kimura, no Mogilar. (Foto: João Pinto/ Divulgação)

DE VOLTA Recolocada com a ajuda de um veículo do Corpo de Bombeiros, a bandeira gigante de Mogi está de volta à Praça Kazuo Kimura, no Mogilar. (Foto: João Pinto/ Divulgação)

 

Frase
Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada.
Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no congresso, sobre a ideia que circula no Supremo Tribunal Federal de acabar com o direito dos políticos ao foro especial



Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone