Desassoreamento do Rio Tietê avança na Região - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

Desassoreamento do Rio Tietê avança na Região

Cidades, DESTAQUE

Desassoreamento vai custar R$ 37 milhões. (Foto: Edson Martins)

Desassoreamento vai custar R$ 37 milhões. (Foto: Edson Martins)

DANILO SANS
Previsto para ser concluído em fevereiro de 2018, o desassoreamento do Rio Tietê em Mogi das Cruzes avança mais um trecho, desta vez para as proximidades do Parque Leon Feffer, segundo balanço divulgado pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE).

O trabalho é realizado em duas etapas. As máquinas concluíram o trecho Estaleiro-foz do Córrego Ipiranga – já foram desassoreados 900 metros a jusante do manancial – e removeram um total de 46 mil metros cúbicos de sedimentos e 430 metros cúbicos de rochas. É importante destacar que o DAEE não atualiza esses números desde janeiro.

Agora, o DAEE está deslocando o maquinário para o próximo trecho, de 2,8 mil metros lineares, do Estaleiro ao Parque Leon Feffer, incluindo a foz do Córrego Matadouro e o Ribeirão Canudos. Ontem, as escavadeiras que trabalham na obra estavam paradas no Parque Leon Feffer para manutenção.

O DAEE já preparou o bota-espera junto ao Parque Leon Feffer, que receberá o material dragado deste trecho. Após a secagem na área de bota-espera, o material é encaminhado em definitivo para um aterro em Itaquaquecetuba, pertencente ao Grupo Pepec, do qual a Itaquareia faz parte (material inerte) e para o Rodolixo do Jaguaré (material não inerte).

A obra de desassoreamento do Tietê em Mogi das Cruzes compreende um trecho de 44,2 quilômetros do rio, entre o Córrego Ipiranga, em Mogi, e o Córrego Três Pontes, na divisa de Itaquaquecetuba com São Paulo. O Governo do Estado está investindo R$ 37,7 milhões neste trabalho, que começou dia 20 de agosto.

O serviço tem como objetivo remover 343 mil metros cúbicos de sedimentos depositados no fundo do canal, o que deverá contribuir para evitar inundações nos municípios beneficiados (Mogi, Suzano, Poá e Itaquaquecetuba). O trabalho também inclui a remoção de grandes pedras e rochas para facilitar o escoamento do rio.

São Paulo-Itaquaquecetuba
O DAEE está concluindo o processo de contratação do trabalho de limpeza e desassoreamento de 25 quilômetros do Rio Tietê entre a Barragem da Penha e a foz do Córrego Três Pontes, extensão natural do trecho em obras de Mogi das Cruzes. A expectativa é iniciar essa etapa nos próximos 30 dias.

Serão investidos mais R$ 40 milhões nos próximos 10 meses na remoção de 500 mil metros cúbicos de sedimentos depositados no fundo do Tietê.



Biritiba Mirim e Salesópolis
No trecho entre Biritiba Mirim e Salesópolis, o serviço de desassoreamento do Tietê já está 25% concluído, segundo o DAEE. O investimento na obra é de R$ 6,5 milhões na remoção de material em 5 quilômetros do rio.

As máquinas estão removendo 61,5 mil metros cúbicos de sedimentos no trecho, que foi atingido por alagamentos em novembro de 2014.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone