Decisão sobre Maluf ainda não garante vaga para Junji

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) negando recurso do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) contra sua condenação, em maio último, a sete anos, nove meses e dez dias de prisão, não significa a posse imediata do primeiro suplente da coligação, o mogiano Junji Abe (PSD). Mesmo mantida a condenação por crimes de lavagem de dinheiro envolvendo desvios de verbas em obras públicas da Capital, Maluf ainda dispõe da possibilidade de um novo recurso junto ao próprio STF, com os chamados “embargos de declaração”. Só após o trânsito em julgado desse recurso final, os ministros irão determinar a execução da pena. Isso se Maluf não conseguir reverter sua condição de condenado, algo um tanto difícil a essa altura do jogo. A análise do recurso de Maluf à sua condenação começou no último dia 26, mas um pedido de vistas do ministro Marco Aurélio interrompeu o trâmite. Àquela altura, o ministro Edson Fachin já havia votado contrário ao recurso de Maluf. Na última terça-feira, os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux acompanharam Fachin e Marco Aurélio foi voto vencido. Na volta de uma visita a Brasília, no início desta semana, o suplente de deputado Junji Abe conversou com a coluna e se mostrou pouco otimista quanto à possibilidade de vir a assumir o lugar de Maluf na Câmara. Como há chances de um novo recurso, é praticamente certo que os advogados do parlamentar irão tentar até a última chance para reverter a condenação aplicada a Maluf. E isso pode estender por muito tempo a decisão final. Realista, Junji avaliou também que o episódio envolvendo Maluf pode sofrer algum tipo de influência do caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG), o que pode contribuir para estender ainda mais a decisão final do STF. O suplente de deputado, entretanto, admitiu que sua chegada à Câmara, ainda que por pouco tempo, poderia significar um alento para uma nova candidatura a deputado federal. Provocado pela coluna se não seria melhor conquistar o lugar no voto, Junji demonstrou bom humor e respondeu: “Vamos ver…”

Crise?
Na contramão do atual momento econômico, o Conselho Deliberativo da Helbor Empreendimentos Imobiliários decidiu, na última terça-feira, promover um aumento de capital de R$ 280 milhões, colocando no mercado 140 mil novas ações ordinárias. Com isso, a empresa mogiana busca aumentar a liquidez da companhia e fortalecer sua estrutura patrimonial, reduzir a alavancagem da estrutura de capital e ainda reforçar a posição de seu caixa.

Repúdio
A Câmara de Mogi aprovou, por unanimidade, moção de repúdio ao Ministério da Educação (MEC) por permitir cursos de graduação na área de saúde, na modalidade de Ensino à Distância em sua totalidade. A proposta partiu dos vereadores Otto Rezende (PR) e Claudio Miyake (PSDB). Segundo eles, tais cursos não cumprem as exigências legais, não dispõem de equipamentos adequados e suficientes para atender o número de acadêmicos e não são fiscalizados de forma eficaz. Os vereadores lembram ainda que o Conselho Nacional de Saúde se manifestou contrário à autorização de qualquer curso de graduação à distância na área da saúde.

Multas
A chefe da Seção de Multas e Recursos da Superintendência Regional do Trabalho do Estado de São Paulo, Nilza da Costa Mendonça, está notificando o União FC de Mogi, da decisão que julgou procedentes três cobranças de multas por infração à legislação trabalhista. O clube mogiano terá de pagar o valor total de R$ 4.105,83, sob risco de ter sua inscrição encaminhada ao Cadastro de Dívida Ativa da União para posterior execução judicial.

No Pico
A revitalização turística do Pico do Urubu foi proposta à Prefeitura pelo vereador Caio Cunha (PV), durante a sessão de ontem, na Câmara. A proposta visa adequar pontos já existentes, como estacionamento e mirantes de observação, assim como instalar lixeiras e banheiros públicos para os frequentadores que sofrem com a falta de infraestrutura. Situado a 1.180 metros acima do nível do mar, o local já foi alvo de estudos de tecnólogos da UBC. Resta saber se a legislação em vigor na área da Serra do Itapeti irá permitir a realização de tais obras.

Cotidiano

RADICAIS  Acompanhado do secretário Mateus Sartori, o prefeito Marcus Melo encarou a prática de canoagem no Adventure Camp, no Parque das Neblinas. (foto: Ney Sarmento/ Divulgação)
RADICAIS Acompanhado do secretário Mateus Sartori, o prefeito Marcus Melo
encarou a prática de canoagem no Adventure Camp, no Parque das Neblinas. (foto: Ney Sarmento/ Divulgação)

Frase
Não se pode diagnosticar que ele seja doido, mas pode-se garantir que naquela cabeça mora o perigo.
Elio Gaspari, jornalista brasileiro, sobre o presidente norte-americano, Donald Trump