Das quadras para a sala de aula

Formado em Educação Física e pós-graduado em Treinamento Desportivo, o mogiano Eric Ruiz, que é responsável pela preparação dos atletas do Mogi Basquete, deseja também atuar na vida acadêmica. (Foto: João Ricardo Santo)
Formado em Educação Física e pós-graduado em Treinamento Desportivo, o mogiano Eric Ruiz, que é responsável pela preparação dos atletas do Mogi Basquete, deseja também atuar na vida acadêmica. (Foto: João Ricardo Santo)eric

O mogiano Eric Ferreira Ruiz atua há 6 anos como preparador físico do Mogi Basquete. Ele segue carreira na mesma área dos pais, Adriano e Edna, que são professores de Educação Física. Antes disso, chegou a ingressar no curso de Turismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Aos 19 anos, ele deixou a faculdade para morar em Balneário Camboriú. A ideia era continuar estudando Turismo por lá, mas naquele ano as vagas foram muito disputadas, e ele não conseguiu entrar na instituição. Em 2003, voltou para Mogi e decidiu matricular-se em Educação Física, na UMC, seguindo a vocação da família.

Durante os dois primeiros anos de faculdade, Eric trabalhou no McDonalds, mas assim que foi habilitado para estagiar na área, começou a atuar na academia Trainer, no Mogilar. Em 2007, ele passou a conciliar as aulas de musculação na Trainer com spinning e natação na academia Slipper. Após ter concluído a graduação como educador físico, em 2008 o mogiano iniciou o curso de pós-graduação em Treinamento Desportivo, pela Universidade Gama Filho, em São José dos Campos, se formando também como preparador físico.

Em 2009, deixou a Trainer e se tornou coordenador das duas unidades da Slipper (uma no Centro e outra no Parque Santana). Um ano e meio depois, convidado para trabalhar no Tênis Clube, além de ministrar aulas de musculação e também nas piscinas, passou a treinar uma equipe juvenil de tênis competitivo.

E seguiu com a rotina de instrutor até 2011, ano em que o Mogi Basquete se reestruturava. O Tênis Clube, onde trabalhava, era um dos apoiadores da nova fase do time, e além de ceder espaço para treinamento dos atletas, ofereceu a Eric a oportunidade de voluntariar como preparador físico do clube. Para o mogiano, esse convite foi muito marcante, já que seu pai, Adriano Ruiz, é professor da modalidade e foi técnico do time de basquete do União na década de 1980.

Ao aceitar o convite, além de preparar os atletas, um dos objetivos do mogiano era fazer contatos e aprender coisas novas. Ele lembra que, em certo momento, o time recebeu convite para participar de um torneio na Holanda, uma oportunidade imperdível para observar o trabalho dos preparadores de outros times. No entanto, a viagem não incluía passagens para o preparador físico. Acreditando que ir seria muito importante para o desenvolvimento de seu trabalho, ele decidiu custear a viagem. Segundo ele, essa decisão foi o divisor de águas de sua carreira.

Durante o primeiro ano em que trabalhou no time, ele ainda atuava à noite no Tênis Clube, e recebia salário somente por lá. No ano seguinte, foi oficialmente contratado pelo Mogi-Basquete e hoje já está em sua sétima temporada pelo time. Ele concilia o trabalho de preparação de atletas com o de personal trainer, e conta que, com os títulos dos últimos anos, como os de campeão paulista e sul americano, a responsabilidade e o orgulho de defender a equipe vêm aumentando.

Aos 34 anos, seu projeto é continuar com a carreira no basquete e planeja, também, montar o próprio centro de treinamento. Um de seus sonhos é, assim como os pais, lecionar em faculdades, e para isso pensa em fazer mestrado. Quando não está trabalhando, o mogiano gosta de estar ao lado.

Curto-Circuito
Viver em Mogi é… estar em uma cidade grande respirando interior

O melhor da Cidade é… ser parte de uma grande família

E o pior? É que nem todas as pessoas que eu amo estão aqui

Sinto saudade… dos meus irmãos

Encontro paz de espírito… quando estou fazendo o que eu amo

Pra ver e ser visto… é preciso fazer um trabalho genuíno

Meu prato preferido é… massa

Livro de cabeceira… “Avanços no treinamento funcional”, de Michael Boyle

Peça campeã de uso do meu guarda-roupa? Bermuda

O que não tem preço? Ver que o trabalho que faço no dia a dia faz a diferença na quadra

Uma boa pedida é… estar com os amigos

É proibido… desistir

A melhor festa é… aquela que reúne a minha família

Convite irrecusável… viajar pelo mundo

O que tem 1001 utilidades? Meu iPad Mini

Meu sonho de consumo é… ser reconhecido na minha área

Qual foi o melhor espetáculo da minha vida? Cirque Du Soleil

Cartão-postal da Cidade… Pico do Urubu

O que falta na Cidade? Praia!

Qual é a química da vida? Suor² + Inspiração³ = Sucesso

Deus me livre de… deixar de aprender