Das mais de 85 mil multas aplicadas este ano em Mogi, 67% são por excesso de velocidade - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

Das mais de 85 mil multas aplicadas este ano em Mogi, 67% são por excesso de velocidade

Cidades, QUADRO DESTAQUE

Dados são da Secretaria Municipal de Transportes.  (Foto: Arquivo)

Dados são da Secretaria Municipal de Transportes. (Foto: Arquivo)

LARISSA RODRIGUES
De um total de 85.380 multas aplicadas em Mogi nas Cruzes entre janeiro e julho de 2017, 58.055 são por excesso de velocidade, segundo a Secretaria Municipal de Transportes. Foram 584 a mais do que no mesmo período do ano passado, resultando em uma média de 85,6 autuações por dia. Para o secretário da Pasta, Eduardo Rangel, o alto índice se dá pela imprudência dos próprios motoristas, já que é exigido que próximo aos radares a velocidade máxima permitida esteja devidamente sinalizada.

“Para que haja a diminuição neste número de multas, é necessária a conscientização do próprio motorista, para que ele respeite a sinalização, já que mesmo estando tudo indicado, as pessoas continuam cometendo as infrações”, reiterou Rangel. Para ele, que afirma que 90% dos acidentes acontecem por falhas humanas, respeitar as leis de trânsito seria uma maneira não só de evitar multas e colisões, mas também de dar mais fluidez ao tráfego de veículos.

Destas multas, 51.274 motoristas foram flagrados em velocidade superior à máxima permitida em até 20%, enquanto 6.781 estavam em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50%. Em 2016, foram 51.249 e 6.222, respectivamente.

Entre as infrações mais cometidas, algumas mudanças chamam a atenção. No ano passado, por exemplo, 3.682 pessoas foram flagradas dirigindo enquanto utilizavam o celular. Este ano, a penalidade não aparece entre as mais aplicadas e deu lugar aos 2.962 motoristas que dirigiam usando fones de ouvido. “Eu acredito que as pessoas façam a tentativa de não estarem segurando o celular e não serem flagradas, mas acabam cometendo outra infração”, explicou o secretário.

Aparecem ainda no balanço deste período de 2017 as multas aplicadas por falta do uso do cinto de segurança, somando um total de 2.984, e também o estacionamento de veículos em local ou horário proibidos especificados por sinalização, resultando em 2.855 autuações.

Com queda significativa, as infrações por avançar o sinal vermelho do semáforo, que em 2016 estavam em terceiro lugar com 4.844 autuações, este ano não aparecem entre as cinco mais aplicadas, com 2.124 penalidades, obtendo número inferior às 2.855 multas por estacionamento irregular, que ficaram em quinto e último lugares no levantamento.

A fiscalização de avanço do sinal vermelho, por meio de radares eletrônicos, é importante para a redução e precaução de acidentes. O cruzamento entre as ruas Dr. Ricardo Vilela e Dom Antônio Cândido Alvarenga, onde as colisões de veículos eram frequentes, conta há quatro anos com o aparelho. “O próprio semáforo já é colocado em locais que ofereçam algum perigo, como um equipamento preventivo e de segurança. Mas, às vezes, a imprudência faz com que os acidentes continuem a existir. O radar ajuda, então, a diminuir este número e podemos perceber que é realmente eficiente”, afirmou Rangel. As multas pelo avanço de sinal vermelho podem ser aplicadas ainda manualmente, pelos agentes de trânsito e também pela Polícia Militar.

Reabertura da passagem em nível ainda gera discussão
Reaberta a passagem de nível da Rua Dr. Deodato Wertheimer, alguns pontos ainda são discutidos pela Secretaria Municipal de Transportes. Ao ter a cancela interditada, o estacionamento de veículos na Rua Navajas passou a ser permitido. Mesmo com a liberação do acesso, os carros poderão continuar parando lá, o que resta agora a decisão da Pasta sobre a regulamentação da Zona Azul.



“Ali naquela região da Navajas estamos fazendo um estudo para que nos próximos dias tenha algo realmente de concreto a fim de regulamentar todo aquele trecho. Em breve já deve estar tudo certo, para ficar mais organizado”, explicou Eduardo Rangel, secretário municipal de Transportes.

Ao longo do ano, algumas mudanças vêm sendo realizadas pela Pasta, a fim de dar maior fluidez ao trânsito do Centro da Cidade. Desde o início de 2017, cinco linhas de ônibus municipais e outras seis intermunicipais passaram a utilizar o túnel do Complexo Viário Tirreno da San Biagio. Além disso, o fluxo de coletivos foi dividido entre as ruas José Bonifácio, Dr. Ricardo Vilela e Governador Adhemar de Barros, reaberta recentemente.

O radar transferido da Av. Francisco Rodrigues Filho para o túnel não fiscaliza apenas a velocidade. Ele também é responsável por controlar o fluxo de veículos no local. Desde o início do ano, passaram por lá 910 mil veículos e a expectativa é de que este número chegue a 1 milhão até o início do próximo mês.

“Com alguns motoristas optando pelo uso do túnel, podemos ver o tráfego fluindo melhor. A nossa intenção é fazer com o que os veículos não cheguem a ficar parados no trânsito. Em horários de pico acontece uma diminuição na velocidade, o que é normal. Mas estamos conseguindo evitar que fique parado”, frisou Rangel.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone