Cirurgia da Isabela deve acontecer em fevereiro, na Inglaterra - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete

           CIDADES

Cirurgia da Isabela deve acontecer em fevereiro, na Inglaterra

Cidades, QUADRO DESTAQUE

Isabela e a mãe devem ficar por até 50 dias em Manchester, para o tratamento. (Foto: Divulgação)

Isabela e a mãe devem ficar por até 50 dias em Manchester, para o tratamento. (Foto: Divulgação)

NATAN LIRA
Com a meta de R$ 500 mil da campanha #ForçaIsa arrecadados, a enfermeira Glaucia Marina Ramos Diringer, de 39 anos, começa a preparar a viagem até a Inglaterra, onde a filha Isabela Ponte Ramos Diringer, de 12 anos, fará a cirurgia de alongamento de intestino. Em contato com a equipe do Royal Manchester Children’s Hospital, ela foi informada que a equipe médica do doutor Antonino Morabito, que fará o procedimento, está em férias, mas deve retornar na segunda-feira. A previsão é de que mãe e filha embarquem rumo a Inglaterra no início de fevereiro.

No primeiro contato com Morabito, antes de começar a campanha, Glaucia foi informada dos exames que precisariam ser realizados no pré-operatório. “Aproveitei esta internação dela e já fiz todos os exames. Quando chegarmos lá (na Inglaterra), ela precisará fazer apenas os que são realizados 24 horas antes da cirurgia”, conta. A Isabela passou, anteontem, por uma cirurgia para a recolocação do cateter central, por onde é medicada. O acesso havia sido retirado no final no ano, quando a pequena sofreu uma parada respiratória. Ainda segundo a mãe, a alta médica depende do treinamento de uma enfermeira home care, que acompanhará a menina nos próximos dias, mas deve ocorrer até quinta-feira.

Antes de viajar, Glaucia precisa resolver alguns trâmites burocráticos, que envolvem desde o pagamento da cirurgia até impostos, que são de acordo com a legislação da Inglaterra, segundo ela. “Quando a filha da mulher que me indicou a cirurgia fez, ela pagou R$ 30 mil em impostos. Eu espero pagar o mesmo”, explica. Os demais gastos com internação, pós-operatório e medicamentos serão desembolsados de acordo com a necessidade. A expectativa é de que as mogianas fiquem de 40 a 50 dias em Manchester.

A última doação para a campanha foi realizada na noite de sexta-feira. A mãe de Francisco, de 4 anos, Jéssica Marzola Benitez, 25, retirou o valor da campanha #VaiChico – realizada para arrecadar os mesmos R$ 500 mil para que o filho, também vítima de gastrosquise, passe pelo procedimento, e completou o sonho da família de Isabela. “Ela me ligou e perguntou quanto faltava aí eu disse que eram R$ 40 mil. Depois ela me mandou o comprovante com o valor”, explica Glaucia, que considera o ato de muito amor e nobreza.

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone