Arrecadação da Festa do Divino cresce 8,8% e fecha em mais de R$ 2,5 milhões - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CIDADES

Arrecadação da Festa do Divino cresce 8,8% e fecha em mais de R$ 2,5 milhões

Cidades, QUADRO DESTAQUE

 O principal motivo, segundo os organizadores, foi o aumento de público. (foto: Arquivo/ O Diário)

O principal motivo, segundo os organizadores, foi o aumento de público. (foto: Arquivo/ O Diário)

LUCAS MELONI
Os tempos de crise econômica não atrapalharam as finanças da edição deste ano da Festa do Divino Espírito de Mogi das Cruzes. As receitas do principal festejo religioso e folclórico do Alto Tietê subiram 8,87% entre 2016 e 2017. A arrecadação subiu de R$ 2.339.881,46 para R$ 2.547.544,56. O principal motivo, segundo os organizadores, foi o aumento de público, sobretudo de jovens, à quermesse, maior fonte de lucro do evento. Cerca de R$ 1,6 milhão deve ser distribuído entre as 23 entidades participantes. A Mitra Diocesana (Diocese) ficará com R$ 137 mil de repasse. O valor será empregado na construção de uma capela no seminário do Tabor, no Itapeti.

O bispo diocesano dom Pedro Luiz Stringhini, representantes da Associação Pró-Festa do Divino Espírito Santo e festeiros estiveram presentes na prestação de contas do evento na Cúria Diocesana, região central de Mogi, ontem de manhã. O valor arrecadado na mais recente edição do festejo é uma das maiores já contabilizadas na história e tem uma explicação. “Nós observamos um aumento maior de público, em especial de jovens, na quermesse nas tardes dos finais de semana. Isso representou uma mudança no perfil de público e resultou num crescimento de mais de 8% de receitas”, comentou Josmar Cassola, presidente da Associação.

A receita total foi de R$ 2,5 milhões, mas as despesas somaram R$ 899.139,35. Boa parte deste valor, pouco mais de R$ 403 mil, refere-se a investimento em infraestrutura. Apesar de uma série de renegociações de contrato, a organização não está disposta a reduzir o valor empregado nesta parte da festa por receio de que isso comprometa a segurança dos participantes do evento. “Já houve uma discussão de preços de anos atrás para cá. A gente precisa tomar cuidado, contudo, com essa questão da diminuição no valor porque isso pode afetar a segurança do público e nós não queremos isso. A segurança é prioridade. Todo o percurso da Entrada dos Palmitos deste ano foi gradeada para evitar problemas com invasão e incidentes. A quermesse também teve muita proteção e o uso de catracas para controlar o acesso. É algo que não pode passar sem atenção”, afirmou José Carlos Nunes Junior, tesoureiro da Pró-Festa do Divino.

São 23 entidades a serem beneficiadas com o repasse de R$ 1,6 milhão. Uma delas é a Mitra Diocesana que receberá R$ 137.837,66. Este valor será direcionado a um projeto em fase final de concepção, disse dom Pedro Stringhini.

“É um dinheiro para começo das obras da capela no seminário do Tabor. Os seminaristas não têm uma capela à disposição deles, apenas um salão. Ainda não há um valor da obra porque o arquiteto entregará o projeto na próxima quarta-feira. A ideia, contudo, é que seja um espaço com capacidade para até 150 pessoas”, comentou.

Nos últimos anos, as verbas recebidas pela Diocese, por meio da festa, têm sido empregadas em obras de melhorias e infraestrutura em imóveis da Igreja Católica. Apenas entre 2015 e 2016 mais de R$ 2 milhões foram usados na construção do novo prédio da Faculdade de Teologia e Filosofia Paulo VI, no Mogilar. “A intenção é que este dinheiro a ser repassado seja para o início das obras da capela. É um valor importante. A intenção é que a construção dure um ano”, disse Stringhini.

A Igreja Católica investe também em imóveis. Nos últimos anos, a Diocese adquiriu quatro casas para transformá-las em residências de padres. Um terreno foi comprado ao custo de R$ 80 mil no Centro de Poá para a edificação de uma paróquia local.

Cuidados aos animais
A organização da Festa do Divino Espírito Santo de 2018 deve intensificar a política de não maltratar os animais usados nas celebrações da Entrada dos Palmitos. Segundo o presidente da entidade que organiza o evento, Josmar Cassola, esta é uma das bandeiras adotadas e pode se tornar uma marca da festividade.



O tema da festa de 2018 deve ser divulgado apenas no dia 12 de agosto, quando acontece a primeira das novenas em louvor ao Divino. Wilamis Roberto Chaudar Santana, de 46 anos, Sandra Alves de Siqueira Chaudar Santana, 41, serão os festeiros, e Mauro de Assis Margarido, 44, e Cícera Alexsandra de Oliveira Margarido, 43, os capitães de mastro. “Ainda estamos definindo o tema da próxima edição e ele deve ser divulgado com a primeira novena, em 12 de agosto. Nós queremos que seja algo relacionado ao calendário da Igreja Católica, mas ainda nada foi divulgado. Estamos analisando alguma coisa relacionada a jovens, mas ainda não há nada acertado. Vai ser algo relacionado à parte religiosa, aos fiéis”, comentou Chaudar.

A preocupação com os animais será reforçada, comenta Cassola. “Isso já vem acontecendo há alguns anos, mas nós vamos reforçar isso. Há todo um trabalho para que não haja maus-tratos aos bichos”

 

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone