Ampliação da Fatec, uma história antiga na Cidade - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           INFORMAçãO

Ampliação da Fatec, uma história antiga na Cidade

Informação

A propósito das recentes notícias divulgadas por este jornal a respeito da necessidade de ampliação do prédio da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Mogi das Cruzes, o vereador Pedro Komura (PSDB) encaminha à coluna uma série de documentos relacionados a uma investida feita por ele, com apoio da Câmara Municipal, sobre o mesmo tema, no ano passado. Tudo começou com uma moção aprovada por unanimidade pelo Legislativo, por iniciativa do próprio Komura, apelando ao governo paulista para que fossem realizados estudos buscando a ampliação da Fatec mogiana num imóvel, à época sem uso, ao lado do prédio da Faculdade, pertencente à Universidade de São Paulo (USP). Tal espaço estaria abandonado e servindo como local para descarte de lixo e criadouro de insetos e outros animais peçonhentos. “A Fatec necessita de ampliação e vem recebendo diversos pedidos nesse sentido para aumento da biblioteca, estacionamento, implantação de um laboratório de análise de solo e de viveiros para espécies da Mata Atlântica, entre outras demandas internas”, disse o vereador à época. A tudo isso, pode-se acrescentar, atualmente, a necessidade de criação de novos cursos. Questionada sobre o trabalho da Câmara, a Fundação Paula Souza confirmou a necessidade da ampliação do prédio. “Infelizmente, Mogi tem uma alta especulação imobiliária, dificultando quaisquer iniciativas por parte da Prefeitura em ceder uma nova área para uma eventual ampliação. A considerar que o terreno da USP, onde a Fatec está localizada, permitiria uma possível ampliação ou construção de um novo prédio para a Fatec Mogi, a direção da unidade acredita que seria viável a expansão do prédio da instituição no terreno em questão”, informa o Centro Paula Souza. E, por fim, cita o fato que talvez seja o maior complicador para a tão necessária obra: “Necessário se faz destacar que a ampliação ensejará a majoração das despesas orçamentárias do Estado, não apresentando harmonia com os decretos que dispõem sobre redução de despesas de custeio, pessoal e encargos sociais no âmbito da administração pública estadual direta e indireta”, diz. “Contudo, a questão poderá ser trazida à discussão em momento posterior”, diz o Centro, deixando um alento para se voltar a debater o caso. Enfim, uma questão a ser resolvida mais pela ação política do que pelos caminhos naturais da burocracia estatal. Com a palavra, os nossos políticos.

Henrique Nicolini
Aos 91 anos, nesta segunda-feira, morreu em São Paulo o jornalista Henrique Nicolini. Citado pelo Guinness Book como o profissional há mais tempo na ativa, Henrique atuava na Gazeta Esportiva (hoje com versão web) há 71 anos – começou em 1946. Tinha profundas ligações com Mogi: era casado com Lilian, filha de Lourdes e Milton Cruz, médico que por mais de 50 anos clinicou na Cidade, fundou e foi o mais longevo presidente do Clube de Campo, entre 1959 e 1979, com um hiato de dois anos.

Sem fundo
O deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) prometia para ontem, a apresentação na Câmara de um projeto de lei propondo o fim do fundo partidário. A nova proposta do parlamentar do Alto Tietê determina que os partidos sejam custeados pela contribuição voluntária dos seus filiados. “Os partidos que têm conexão com a sociedade terão condição de se manter”, garante Lucena. Uma iniciativa interessante, mas candidata a permanecer engavetada ad aeternum pelos seus colegas deputados.

Gestão cultural
“A cultura na gestão pública: história, ação e acesso aos bens culturais”, foi o tema da dissertação apresentada pelo secretário municipal Mateus Sartori, de Cultura, ao final do curso de pós-graduação em Gestão de Cidades, junto à Fundação Armando Álvares Penteado, a Faap, da Capital. Como havia seis alunos de Mogi para apresentar seus trabalhos – entre eles, o ex-secretário Nobuo Xiol –, a banca examinadora decidiu vir para a Cidade realizar o exame na sede da Escola de Governo, no Mogilar.

Calçadas
A Comissão Permanente de Acessibilidade, vinculada à Secretaria da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de São Paulo irá promover, em Mogi, um seminário sobre acessibilidade arquitetônica e calçadas, em data ainda a ser definida. O evento foi acertado durante encontro do prefeito em exercício Juliano Abe (PSD) e o secretário Cid Torquato (PSDB), na última segunda-feira, na Prefeitura. A CPA é a autoridade paulistana em acessibilidade, pela qual passam todos os grandes projetos públicos e privados para aprovação, adequações e outras análises.

Cotidiano

ACAMPAMENTO  Está acontecendo na Praça Francisco Godoy Cintra, ao lado do Gold Snooker, entre as ruas Dirceu Rodrigues e Caio T. Brandão, no Mogilar. (Foto: Carlos Godoi/ Divulgação)

ACAMPAMENTO Está acontecendo na Praça Francisco Godoy Cintra, ao lado
do Gold Snooker, entre as ruas Dirceu Rodrigues e Caio T. Brandão, no Mogilar. (Foto: Carlos Godoi/ Divulgação)

Frase
A vida é o pânico num teatro sem chamas.
Jean-Paul Sartre (1905-1980), filósofo, escritor e crítico francês, conhecido como representante do existencialismo

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone