Advogado vai pedir bloqueio de bens da União do Litoral

O ônibus do acidente pertencia à União do Litoral. (Foto: Reprodução/Whatsapp)
O ônibus do acidente pertencia à União do Litoral. (Foto: Reprodução/Whatsapp)

O advogado José Beraldo disse na tarde desta quarta-feira a O Diário que ele e sua equipe já prepararam a ação de indenização por danos morais e materiais em desfavor da direção da União do Litoral, de São Sebastião. “Estamos pedindo também à Justiça o bloqueio dos bens da empresa e nos baseamos no novo Código Civil, no artigo tutela de evidência, considerando que os bens da firma podem ser lapidados. A ação vai tramitar no Fórum de Bertioga”.

Ele se referiu à tragédia que aconteceu, no fim da noite do dia 8 do mês passado, na Rodovia Mogi-Bertioga, km 84, e provocou a morte de 17 estudantes e do motorista do coletivo que tombou naquele trecho da Serra do Mar. Os alunos deixaram as universidades e voltavam para casa, em São Sebastião.

Ao divulgar o laudo pericial elaborado pela Polícia Científica, na Capital, o advogado Beraldo, já constituído por 11 das famílias das vítimas, explicou que “ficou comprovado que não havia manutenção no ônibus envolvido no acidente e o sistema de freios apresentou problemas. Diante das evidências, não há mais dúvidas de que a direção da União do Litoral deu causa ao acidente. E por esse motivo pedi que os culpados pelo tombamento, até mesmo a Prefeitura de São Sebastião, pois tinha obrigação de fiscalizar as condições de tráfego do ônibus, sejam responsabilizados”.

José Beraldo diz que vai atuar como assistente do Ministério Público, e já pleiteou na Justiça que os culpados respondam pelo crime de dolo eventual. “Eles não cuidaram do ônibus, sabiam do risco e, portanto, devem ser indiciados por homicídio doloso (com intenção). Não é justo que fiquem impunes”. A empresa União do Litoral e a Prefeitura de São Sebastião garantem estar dando assistência aos sobreviventes e às famílias das vítimas fatais, porém o criminalista refuta essa colocação. “Isso é mentira, todos estão abandonados”.

Beraldo adiantou que nesta sexta-feira (8), às 11 horas, parentes e amigos dos mortos estarão no local da tragédia, fazendo uma oração para marcar um mês. Ao concluir, ele reclamou da permanência do ônibus acidentado no pátio da Polícia Rodoviária, no final da Mogi-Bertioga, já em Bertioga. “Ele tem que ser retirado de lá, as famílias estão indignadas com essa exposição”.

LAÉRCIO RIBEIRO