Advogado quer fazer a diferença - O Diário - Mogi das Cruzes , Suzano e Região do Alto Tiete
Fechar

           CADERNO A

Advogado quer fazer a diferença

Caderno A, Circuito

Sylvio Alkimin mudou radicalmente sua trajetória profissional ao deixar o curso de Engenharia e debandar para o de Direito. Hoje, integra comissões da OAB em Mogi e na Capital e quer ajudar a fazer uma Mogi melhor

Se desde criança uma das coisas que Sylvio Alkimin, 35 anos, mais gostava de fazer era ler, as coisas tomaram um rumo um pouco diferente ainda durante o Ensino Médio e o mogiano acabou se formando no curso técnico de mecânica de precisão. Isso o levou a trabalhar no ramo por 12 anos em uma grande empresa. Mas não era isso o que ele realmente gostava de fazer e, em uma sexta-feira, enquanto assistia a uma aula de química do curso de Engenharia de Automação, que chegou a fazer por um ano, resolveu que daria uma virada na sua vida. Ali mesmo, na Universidade Braz Cubas (UBC), resolveu que trancaria

a matrícula para começar a fazer Direito. A partir daí Sylvio percebeu que estava se envolvendo com algo que realmente amava fazer. Pelo bom salário que recebia no antigo emprego, demorou um tempo até que pedisse demissão. Ele se formou no ano de 2007 e até 2012 continuou trabalhando com automação. Em um determinado momento achou que não estava sendo honesto com a empresa e nem com ele. Além disso, fazia especialização em direito tributário e graduação em ciências contábeis. O advogado precisava, então, de um tempo maior para que pudesse exercer a nova profissão.

Os estudos, inclusive, sempre foram prioridade na vida de Sylvio. Aos 14 anos ele estava matriculado no Senai, mas achava que poderia ir além disso. Na época conheceu a Escola Suiço  Brasileira de São Paulo e soube que a prova para ingressar na instituição de ensino era muito concorrida. O fato o motivou ainda mais. Sem contar para a mãe, Joana D’arc de Camargo Ferré, o mogiano estudou muito e fez sua inscrição para o exame. Ele perguntou em tom de brincadeira se ela o deixaria estudar na Capital, caso ele passasse bem colocado na seleção. A mãe respondeu que sim, sem saber que isso já havia acontecido. Ela teve, portanto, de concordar com a mudança do filho para São Paulo, onde ele morou em uma república dos 15 aos 18 anos.  Logo voltou para Mogi, que é um lugar que Sylvio adora morar. Hoje, como advogado luta por melhorias na Cidade, além de, por aqui, integrar a Comissão de Direito Eletrônico e Crimes de Alta Tecnologia da Ordem dos Advogados do Brasil. Na Capital também faz parte da mesma Comissão de Crimes Digitais da OAB.

Ele atua ainda em seu escritório. O sonho do mogiano sempre foi ter um local de trabalho que fugisse um pouco do comum, e conseguiu. Hoje ele se sente realizado em poder levar sua cachorrinha Mel para sua sala, por exemplo. O advogado garante ainda que seus funcionários têm liberdade para acessar redes sociais e que eles costumam se reunir fora do e xpedi ent e , tudo com o intuito de tornar o ambiente de trabalho um local extremamente agradável.

O principal objetivo do mogiano dentro da advocacia é poder fazer a diferença. Por isso, muitas vezes se envolve em casos que podem não lhe render um retorno financeiro, mas que ele sabe que estará fazendo o bem. Ele conclui dizendo que cursou faculdade de Direito e não de dinheiro, por isso, o que realmente importa para ele é que consiga fazer justiça. (Larissa Rodrigues – Especial para O Diário)

Compartilhe nas redes sociais...Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone